Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

31
Ago14

Um texto por dia...


Olívia

... dá saúde e alegria! Pois não era bem isto, mas a rima é engraçada!

 

Quando iniciei no dia 1 de Julho este blogue familiar comprometi-me comigo mesma e com quem o leu logo no início a escrever diariamente episódios da nossa vida familiar, quer enquanto esposa e mãe, quer enquanto pessoa!

 

Alguns dos textos sobre o processo de adopção já os tinha escrito e resolvi partilhá-los aqui, e continuarei a fazê-lo porque muitas pessoas não sabem, mas gostariam de saber como foi (prometo que durante este mês começarei a escrever de acordo com o acordo ortográfico, mas ainda tenho de me habituar...).

À medida que me fui envolvendo no blogue dou comigo a pensar continuamente no que hei-de escrever, tenho blocos de notas e cadernos em casa e no trabalho, tenho a Bíblia sempre à mão, alguns livros que vou lendo e muita vontade de continuar a escrever... e sei que tenho leitores assíduos que vêm cá todos os dias por isso todos os dias encontrarão aqui um texto, uma imagem, um pedaço de mim, da minha família e da nossa vida!

 

Estaremos condicionados sempre pelo nosso histórico e por isso as fotografias serão sempre muito pouco claras... algumas pessoas já nos conhecem, outras irão conhecer-nos em breve num dos retiros ou reencontros das Famílias de Caná! Quem já nos conheceu sabe que somos pessoas simples e que a nossa família está longe da perfeição, mas realmente o que conta é o esforço em crescermos enquanto família cristã e em nos mantermos unidos.

As nossas filhas sabem que temos um blogue e gostam de ver os seus trabalhos no ecran do computador, fá-las sentir orgulho nas suas tarefas e nos pais que se preocupam em dar-lhes destaque mesmo que sejam uns rabiscos coloridos.

O nosso canto de oração recebe continuamente "ofertas" de verdadeiras obras de arte, flores, fitas e desenhos. às vezes olho para lá e vejo uma grande confusão... mas quem sou eu para dizer que Deus não gosta de receber estes gestos doces das crianças? Ninguém.

(Desenhos livres e as datas dos nossos baptismos) 

 

(uma menina a rezar)
(trabalhos sobre a Palavra de Deus)

Ao ler o texto da Teresa e ao chegar a casa e olhar para o nosso canto onde já colocámos uma "caixa de arquivo" para ir guardando os trabalhos senti um calor muito bom no meu coração!

 

Aquilo não é confusão é criatividade!

 

Que Deus nos inunde sempre com o Espírito que nos faz mover e não nos deixa estagnar na vida, no serviço e no amor ao próximo!

 

 

 

30
Ago14

Literatura familiar...


Olívia

Depois da "Biblioteca da Mãe", da "Literatura juvenil" e "Literatura infantil" inauguro hoje este belíssimo tema da literatura familiar!

Basicamente nesta categoria estão os livros de ciência e natureza ou como a Mimi gosta de chamar livros do planeta, curiosidades, perguntas e respostas e por aí fora. Cá em casa faço questão de que estejam espalhados por vários locais e que estejam nas prateleiras de baixo das estantes, eu sei que o sr. Google sabe tudo e que nos dias de hoje os jovens e as crianças preferem pesquisar no computador, mas eu sou da velha guarda e para mim folhear um livro tem sempre algo de muito belo! (Mesmo que não haja rede estão sempre lá). 

Também eu tenho muita pena que existam poucos livros de espiritualidade acessíveis à família... normalmente são muito densos e com linguagem para gente crescida... de todas as formas tenho em casa um bom livro que aqui vou recomendar, já é antigo (1986), mas está muito bem construído. Este livro foi feito com a colaboração de um biblista (Salvatore Garofalo), um arqueólogo (Michele Piccirillo), um pintor (Nino Gregori), um fotógrafo (Calogero Cascio) e um jornalista (Giulliano Coaci) que se juntaram para nos darem a conhecer "O Evangelho que não conheceis" é este o nome do livro! Já tentei encontrá-lo à venda, mas a verdade é que só achei uma edição de 1976 num alfarrabista... portanto e voltando à temática das Trocas de Livros  se alguém tiver curiosidade peça emprestado que a Mãe empresta!

 

Para abrir o apetite vou deixar alguns dos quadros do pintor que se dedicou também ao estudo minucioso dos objectos utilizados, toponímia das habitações... e se esperam encontrar uma Maria de pele de porcelana e um menino Jesus loirinho de olhos azuis... não vão mesmo encontrá-los aqui... apenas a capa tem uma imagem daquilo que temos "padronizado", mas que não é de facto real...

 

Este livro prima pela aproximação à realidade e os palestinianos não são assim... o livro inicia-se com "ponto por ponto o diálogo entre Gabriel e a Virgem da Galileia" e segue até à "Formação, nascimento e valor dos quatro Evangelhos" percorrendo assim vinte dos locais mais significativos da vida de Cristo.

 

Passando pela casa de Maria

 

Pela Gruta de Belém

 

Pelo Templo de Jerusalém

 

Pelo Lago de Tiberíades

 

Fica então esta sugestão para ler e aprender em família! Na introdução podemos ler:

 

«Um jornalista, um pintor, um fotógrafo, um arqueólogo e um biblista uniram o seu trabalho e o seu talento no desejo de re-descobrir Jesus Cristo, para O oferecer aos leitores no modo mais autêntico e sincero.» 

 

 

 

29
Ago14

A televisão lá em casa...


Olívia

... tem um dos últimos lugares no entretenimento familiar (computadores consolas e tablets incluidos). Pois é mesmo verdade, e quando digo isto a maioria das pessoas fica espantada... e perguntam: «então com duas filhas como é que faz?»

Pois bem, é mesmo muito simples, enquanto pais sentimos que a maioria dos programas de televisão é muito agressivo, quantas vezes a meio do jantar ou almoço não aparecem imagens de pedaços humanos espalhados por causa de uma bomba? Quantas vezes não vemos pessoas a sangrar por causa de acidentes? Eu muito simplesmente acho que as meninas têm tempo de ver tudo isso... e sei que não sou a única, por isso evitamos ligar a televisão durante praticamente todo o dia e muito menos na hora das refeições. 

Quanto ao resto do dia incentivamos a que elas se ocupem com coisas mais produtivas como por exemplo "brincar" às cabeleireiras, aos cozinhados e aos restaurantes (incluindo fazer os electrodomésticos)

...fazer trabalhos manuais e pinturas...

... brincar no parque...

... a jogar à macaca...
a tirar fotografias...

... e por aí fora! Com o tempo ocupado realmente nem se lembram da televisão! Ao fim de semana normalmente deixamo-las ver desenhos animados que temos gravados ou algum outro programa adequado para as idades... não há cá casas de segredos nem novelas lamechas a inundar as cabeças com disparates lá em casa! Damos sempre preferência a programas educativos de construção e história, programas que ensinem e que encham as cabeças com utilidades! 

 

Se é fácil implementar este sistema em família? Sim, é. Sabemos que tem de ser gradualmente e não vale a pena dizer aos meninos que estão todo o dia a ver o panda que não há mais televisão... o melhor é inventar tarefas e actividades ao longo dos dias até que eles vejam que se podem divertir de outras formas... o mesmo para nós adultos, é tudo uma questão de nos mentalizarmos para ocupar bem o nosso tempo!

 

Ontem ao falar nisto a uma senhora ela disse-me que era pena que poucas famílias pensassem assim, que os seus netos estão toda a manhã a ver televisão e de tarde jogam computador, mesmo em tempo de escola é assim que passam o tempo! 

 

Eu e o meu marido tivemos infâncias muito felizes, com muita brincadeira, muitos arranhões e roupa cheia de sujidade... ao olhar para esse tempo gostaria também que as minhas filhas em adultas olhassem para trás e sentissem o mesmo!

 

 

28
Ago14

Santos Padroeiros


Olívia

Diz a tradição cristã que se deveria dar aos filhos o nome do santo que seria dali em diante o seu santo padroeiro. Acho que esta tradição se perdeu através dos tempos, mesmo em famílias católicas como por exemplo a minha. Os meus pais deram-me um nome de uma artista em voga nos anos 70/80... seguido de Maria, durante muitos anos não gostava que me tratassem pelos primeiros nomes seguidos, mas hoje agradeço à minha mãe ter-me baptizado também com este segundo nome tão belo! Quanto ao meu marido recebeu o nome do seu avô materno. Escusado será acrescentar que os nossos santos padroeiros não têm o mesmo nome que nós...

 

Na minha adolescência descobri uma personagem da história francesa que se tornaria a sua Santa padroeira, a Joana D'Arc. Uma pastora iletrada que através da sua disponibilidade em escutar a Deus conduz a França à vitória sobre os ingleses recuperando assim o seu território e a sua independência. A sua fé em Deus foi inabalável até ao fim, foi traída pelo rei que ajudou a coroar, foi vendida aos inimigos e julgada injustamente por heresia, morreu na fogueira gritando os nomes de Jesus e Maria. Anos mais tarde a sua família conseguiu a anulação deste julgamento e cinco séculos depois foi canonizada! Esta foi a Santa que escolhi para minha amiga, sim é assim que a vejo, converso com ela, rogo-lhe a sua intersecção junto de Deus todos os dias e recordo a sua fé e bravura!

 

Depois de iniciarmos aqui em casa uma oração diária, aceitando o desafio das Famílias de Caná, resolvemos procurar um Santo com que o meu marido se identificasse e recordando uma conversa com amigos investiguei um pouco e depois de reflectirmos decidimos que dali em diante S. Nuno de Santa Maria seria o padroeiro do Pai, este santo é mais conhecido por Santo Condestável (que quer dizer chefe do exército).

Recentemente tive a alegria de ler a sua biografia e aquilo que vim a descobrir deixou-me cheia de uma grande alegria!

Tal como Joana D'Arc, este foi um guerreiro que iluminado por Deus levou o seu (e nosso) país à independência! Homem de muita fé, rezava diariamente e inspirava os outros a fazerem o mesmo, tal como Joana pediu aos invasores que deixassem o país e partissem em paz, e tal como ela tinha um estandarte com os seus Santos padroeiros, com Jesus e com Maria. Depois das grandes conquistas e da expulsão dos espanhois este era um homem que possuía uma grande fortuna, mas sentindo que chegava a hora de fazer aquilo que tanto queria desde menino e, tal como diz no evangelho, deu tudo o que tinha e apenas com a roupa que tinha vestida entrou no mosteiro de Nossa Senhora do Carmo e dedicou o resto dos seus dias a Deus!

Foi um homem que, já em idade avançada, nascia para Deus murmurando os nomes de Jesus e de Maria! 

 

Ambos os nossos santos padroeiros nasceram para o céu em 1431, com poucos meses de diferença... um com 70 anos e o outro com 19!

 

Qual seria a probabilidade de escolhermos (será que escolhemos ou fomos escohidos?) estas duas pessoas que têm uma história tão bela, tão semelhante para nos servirem de inspiração na confiança, na fé, na dádiva, na partilha, na simplicidade e no amor a Deus?

 

Existem coisas na vida que nos aproximam enquanto casal, existem momentos que sentimos que já não somos dois, «mas uma só carne»! Existem momentos de partilha, de conversa, de descoberta... de vida!

 

 

 

 

 

«Joana como Nuno, unira na mesma fé o amor a Deus e o amor à pátria»

in Nuno Álvares Pereira de Jaime Nogueira Pinto

 

 

 

 

27
Ago14

História XXIV *Nascimento*


Olívia

...

«Estava previsto o nascimento da Mimi para o dia 3 de Julho (2008) e como tal no meu trabalho ficaram assustados com o facto de faltar apenas alguns dias e eu continuar a aparecer fazendo uma viagem de cerca de 80km duas vezes por dia e no dia 30 de Junho pediram-me que ficasse em casa (certo é que como estava a recibos verdes a minha licença seriam 45 dias, ou seja um mês e meio depois de ter a bebé teria de ir trabalhar, caso não aceitasse iria embora logo quando avisei que estava grávida...) e assim foi, fiquei em casa e por incrível que pareça a menina não nasceu no dia previsto... eu sei não é assim tão incrível, mas eu achei que seria nesse dia...

No dia 7 às 9 da manhã fui então fazer o tal CTG e a doutora disse que ia ficar lá...mas como eu não tinha levado nada pedi para vir a casa buscar as malas, assim foi vim para casa, mas quando cheguei tinha tanta coisa para fazer que só regressei ao hospital à uma da tarde, com direito a ralhete e tudo... Ora bem, não me doía nada, estava bem...

As horas que se seguiram foram basicamente como são para quase toda a gente e chegado o ponto de descobrir que a bebé não queria nascer e era muito grande teriam de fazer uma cesariana. À pergunta sobre se era a primeira filha eu respondi que não, mas ao comentário seguinte de já ter passado por isto eu respondi que era a primeira vez! Várias foram as enfermeiras que quiseram vir conhecer a minha história, claro que fui contando depois da epidural, que antes nem conseguia falar...

 

O pai chegou de Lisboa às 20.30 e às 21.50 desse dia nasce a pequena Mimi, com 4,030 Kg e 51 cm de comprimento! No dia seguinte faria eu 28 anos e no outro dia a seguir faria o pai 30 anos!

 

Na hora da visita a Gui foi ver a mana! Pegou nela ao colo com jeitinho e foi realmente um momento muito bonito!

 

Os quatro estávamos juntos pela primeira vez neste nosso mundo tão belo e a partir desse dia seríamos uma nova família!»

 

A Mãe

26
Ago14

Uma imagem...


Olívia

... que vale por mil palavras!

 

O ser humano muitas vezes gosta de complicar o que é tão simples... 
O ser humano muitas vezes acha que a razão se sobrepõe ao coração...
O ser humano muitas vezes esquece-se de que o AMOR tudo pode!
*
«O lobo habitará com o cordeiro, o leopardo deitar-se-á ao lado do cabrito, o leão e o novilho comerão juntos; e um menino os conduzirá.
A vaca pastará com o urso, as suas crias repousarão juntas, e o leão comerá palha com o boi.
A criancinha brincará na toca da cobra, e o menino desmamado meterá a mão no ninho da víbora.
Não haverá dano nem destruição em todo o meu Monte Santo, porque a terra está cheia da ciência do Senhor tal como as águas que cobrem o mar.»
Is 11:6-9

25
Ago14

As Histórias da Bíblia...


Olívia

...São muitas vezes contadas ao serão, são pequenas adaptações que faço por palavras minhas através das passagens dos Testamentos. Depois da história faço uma pequena explicação e tento adaptá-la para o dia a dia, depois fazemos ilustrações e trabalhos (muitas vezes no dia seguinte, ou dois ou três dias depois)!

Sabendo que estou a contar histórias para uma filha com 6 e outra com 17 anos tento simplificar a linguagem e dar uma "entoação" conforme o episódio...umas vezes estamos no deserto com Moisés, outras vezes estamos a caminhar com Jesus sobre as águas do lago... esta semana estivemos com Elias e fomos a casa da viúva de Serepta...

 

Para quem não se recorda é uma belíssima história de dádiva e confiança na Divina Providência, uma história de partilha e disponibilidade e podemos encontrá-la em 1Reis 17 10:16

 

Esta ilustração foi alinhavada pela mãe seguindo as indicações das filhas, podemos ver a panela onde a farinha nunca acaba, o azeite que também não acabava, o forno e o pão pronto a partilhar , também temos o SOL, sinal da presença de Deus e as flores claro! Sinal da alegria!

 

(pintada pela pequena Mimi)

 

Agora iremos emigrar para Moabe com Noemi e o seu marido... e iremos viver grandes aventuras caminhando com Deus no coração!

Pág. 1/5

Quem Escreve

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Aquela Fotografia

O blogue da Margarida

Também escrevo aqui

Bloco de Notas

Baú de Memórias

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D