Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

31
Dez14

A pensar no novo ano...


Olívia

... estou já a fazer a minha lista de resoluções, umas serão as mesmas deste ano, não porque não as cumpri, mas porque são verdadeiramente importantes como por exemplo passar mais tempo de qualidade em família, não significa certamente mais em quantidade pois a nossa família não está junta todos os dias, mas o mais importante é o que fazemos quando estamos juntos, certo?

Outras serão novos projectos pessoais e familiares, ainda não tenho nada muito concreto, mas também qual é a pressa? Ainda faltam umas largas horas para abrirmos a nova agenda (e a minha ainda não chegou... é suposto ser uma oferta da DECO!)

A grande novidade nas minhas resoluções prende-se com o facto de nos últimos tempos ter ignorado completamente as vaidades, ou seja: eu sei que devia perder os muitos quilos a mais que tenho, sei que me deveria "produzir" mais, sei que deveria sair de casa com pelo menos a maquilhagem básica: base, batom e rímel, mas confesso que me estou pouco ou nada a importar com essas coisas... esta foi a resolução que não cumpri durante este ano de 2014 "cuidar do meu visual e sair de casa sempre bem arranjada" e não foi por falta de "material", foi mesmo por decisão pessoal.

Cheguei a uma fase na vida que realmente não me incomoda estar rodeada de pessoas super bem vestidas e maquilhadas sem me sentir o patinho feio, cada qual é como é, e não é por ver cada vez mais amigas a usarem todos os produtos e marcas "top" que entrarei nessa onda, não tenho nada contra quem o faz como é óbvio, simplesmente a mim já não me fascina!

Passei o ano de 2013 a organizar a minha vida e a minha casa com a ajuda da Mónica Duarte (não sei se conhecem, mas ela é um must nos assuntos da casa e uma querida);

Passeio o ano de 2014 a aproximar-me cada vez mais da minha família, de mim própria e de Deus;

Passarei o ano de 2015 a aproximar-me cada vez mais dos que mais precisam de mim, é ou não um bom projecto de vida?

Quadro-reciclado-para-recados.jpg

 

 

Feliz 2015 a todos!

 

30
Dez14

Em contagem decrescente


Olívia

Estamos então em plena contagem decrescente para o início de um novo ano, para muitos será a continuação deste ano, para outros um início, para uns será uma passagem de ano repleta de festa, música, comida e bebida, para outros conversas à lareira, ver filmes divertidos na televisão...

Cá por casa estamos mais para esta última opção, até porque as meninas não deverão aguentar acordadas e bem dispostas a passagem da meia noite... mas o mais importante é saber que nestes dias se pensa um pouco no ano que passou.

Vale a pena olhar mês a mês, pensar nas conquistas conseguidas, nas batalhas travadas, nos momentos de tristeza, nas metas a que nos propusemos durante este ano, vale a pena ensinar os mais novos a fazer uma retrospectiva da vida em família, no grupo de amigos, na escola, no trabalho... afinal não andamos por aqui apenas para passar o tempo, é importante ter objectivos definidos, lutar contra as nossas fraquezas, contra a nossa inércia...

Nestes dias do final do ano espero ver com cada uma das minhas filhas os vários momentos do ano, para isso talvez passemos os olhos pelas várias "pastas" do computador com as fotografias, escolhendo as melhores para serem reveladas.

Uma outra coisa que irei fazer no serão é abrir o frasquinho da gratidão e ler um a um os vários papelinhos com as coisas pelas quais estivemos gratos em 2014, como já falei por aqui há uns tempos... e que melhor altura para fazermos os nossos cadernos da gratidão do que esta?

Uma coisa é certa, este foi para mim um ano de viragem, de aproximação familiar, de encontro pessoal, ainda que tenha sido um ano extremamente difícil em termos financeiros, um ano em que diariamente nos vimos confrontados com muitas exigências...e talvez por isso sinto que tivemos um ano repleto de bênçãos e de graças!

Conheci pessoas incríveis, famílias muito especiais, aprendi a ver a vida de outro jeito, fui a lugares que jamais imaginei... aprendi coisas importantes, fiz escolhas radicais, opções de vida impensáveis há uns tempos atrás... e sinto que ainda tenho tanto para viver, para fazer, para melhorar, para escrever!

 

2015 Aqui vamos nós!!!!

 

DSCF1555.JPG

 

«Uma geração vai, outra geração vem, mas a terra continua sempre a mesma. O Sol nasce e depois esconde-se; regressa cansado ao seu lugar, para dali voltar a nascer. O vento sopra para o sul e roda para o norte; o vento gira e vira sem parar. Todos os rios correm para o mar, mas o mar nunca se enche. Voltam para a sua origem para retomarem o mesmo caminho.»

ECLESIASTES 1:4-7

 

 

29
Dez14

A jovem Mãe


Olívia

Maria foi uma mãe ainda muito jovem, a esta mãe foi pedido aquilo que se pede a uma mãe: amar o filho e educá-lo segundo as suas crenças, segundo a lei dos homens e a Lei de Deus. Desde cedo que ela se dispôs a cumprir tudo aquilo que lhe foi pedido, indo a Belém já bem perto do final da sua gravidez, junto com José seu esposo e cheia de confiança, certamente.

No meio da confusão da cidade andaram de porta em porta e não havia lugar para eles... as dores apertaram e quem já foi mãe deve estar a recordar-se mais ou menos como foi... deverá ter procurado apoio no marido pois era o único ali com ela... e em Deus... Como devia estar assustada esta mãe... eu estava quando chegou a minha hora e estava rodeada dos vários confortos de um hospital. 

E o Menino nasceu! Ó quanta alegria deve ter sentido a jovem Mãe, ali estava o seu bebé pequenino, junto de si. Ali estava a Palavra que se cumpria, a Vida que nascia, juntamente com a alegria nós mães sabemos o que se sente... o medo de não saber o que fazer, como fazer, de não sabermos como proteger os nossos filhos...

No meio da noite escura apareceram lá uns pastores, aqueles que eram considerados "cidadãos de segunda" pois passavam as noites ao relento com o rebanho, eles entraram e prestaram homenagem ao Salvador que acabava de nascer, pois se foram os Anjos do Senhor que lhes disseram!

Mais tarde vieram os Magos do Oriente dizendo que traziam presentes para o Rei!

Maria guardava tudo isto no coração, Maria a jovem mãe a quem era pedido ainda mais uma coisa, que apresentasse o seu filho no templo, oferecendo assim o Seu Menino a Deus, o mesmo Deus que lho havia dado!

Maria e José não hesitaram, lá encontraram Simeão e mais uma vez foram surpreendidos pelas suas palavras:

«Este Menino foi estabelecido
para que muitos caiam ou se levantem em Israel
e para ser sinal de contradição;
— e uma espada trespassará a tua alma —
assim se revelarão os pensamentos de todos os corações».

 

A verdade é que a Maria ainda havia sido pedida mais uma coisa, que este seu Menino fosse entregue por nós, que quando chegasse a hora ela o deixasse cumprir aquilo para que nasceu... que um dia Ele morreria numa cruz!

E, mesmo sem entender que, por causa desse seu gesto de amor e entrega, todos teríamos a vida eterna um dia, Maria no meio da sua juventude soube confiar e dizer SIM!

Deixo-vos aqui uma versão desta música que resume tudo o que aqui tentei escrever e não consegui, a primeira vez que a ouvi foi no blogue da Marisa, Marisa obrigada!

 

 

 

 

 

 

 

 

28
Dez14

A família


Olívia

A família é o nosso porto seguro, a quem podemos recorrer, com quem podemos dividir as nossas alegrias e as nossas conquistas. Custa-me acreditar que, pelas mais variadas razões, famílias se afastam, deixam de se falar, ocupam a sua cabeça com más memórias e o coração com rancores e ódios "de estimação", vão ficando cada vez mais feridas e distantes, cada vez mais tristes...

Na sexta feira vim trabalhar, a porta abre-se rapidamente e entra uma moça aflita dizendo que uma pessoa de idade tinha caído e chamava pela filha, que estaria algures numa loja. Eu lá fui ajudar a senhora que chorava a dizer que a filha iria ralhar com ela (note-se que a senhora devia ter uns 70 e tal anos e a filha provavelmente 40 e muitos) eu e a moça que me veio chamar tentámos acalmá-la, pois tinha uma perna dorida e mal punha o pé no chão... perguntei-lhe se tinha o número da filha e ligamos-lhe. Enquanto esperávamos a senhora continuava num pranto cheia de medo da filha. Ela continuava sempre a dizer que a filha ia ralhar com ela pois já lhe ia dar trabalho... eu ainda tentei brincar dizendo que também a filha lhe devia ter dado trabalho quando era pequena...

A filha chegou, olhou para ela e estas foram as primeiras palavras dela para a mãe: «Arranjaste-me aqui uma carga de trabalhos não foi?»

A senhora tinha razão, a filha ralhou ali em frente de toda a gente, tinha uma expressão de fúria nos olhos e nem connosco foi simpática... sugeri que a levasse ao centro de saúde aqui mesmo ao pé para fazer um raio x, elas foram no carro e eu e a outra moça fomos a pé para a ajudar a tirar a senhora do carro.

Quando lá chegámos, esperámos, esperámos e elas não apareceram... a filha não a levou ao centro de saúde! Espero sinceramente que tenham ido ao hospital... e não para casa...

Depois disto fiquei bastante triste, que geração é esta? Que geração é a minha, que ignora os mais velhos, que acha que eles dão trabalho? Que só servem para empatar? Somos ou não uma geração de mal agradecidos? Quantos sacrifícios os nossos avós fizeram pelos nossos pais? E quantos sacrifícios fizeram os nossos pais por nós?

A velhice deixou de ser um posto, uma honra, passou a ser um entrave... uma prisão... como posso eu ser diferente? Como poderei eu quebrar esta regra que se impõe? 

Ainda há dias estávamos a festejar o dia de Natal, a festa da família... e no fundo... quantas famílias o fizeram de coração? quantos filhos receberam os pais para terem a sua companhia? Quantos pais fizeram viagens para estar com os filhos e não para estar ali a fazer número?

Espero que muitos. Espero que este tenha ido um episódio isolado de ingratidão. Espero que possamos nós dar um exemplo de partilha e serviço, para que os nossos filhos aprendam a respeitar e amar os seus pais e os seus avós.

Eu não quero ser ingrata, por isso olho para a família de Belém, que hoje celebramos, para tentar aprender com eles, na simplicidade do dia-a-dia, a ser melhor, mais grata, mais presente, menos preocupada com as aparências e mais preocupada com as coisas da alma e do coração... se está a ser fácil? Não.

Mas isso não me impede de continuar a tentar dia após dia, não me impede de reconhecer que errei muitas vezes, que tenho de me esforçar mais, que tenho de ser firme na continuação da minha missão, que tenho de ser quem sou aqui e agora, pois a minha passagem por este mundo aconteceu agora, a minha vida começou em 1980 e realmente eu não sei como e quando terminará... como quero eu ser recordada? Como quero eu ser recebida pelo Pai na eternidade?

Esta é a minha verdadeira questão!!!

DSCF1335.JPG

 

 

27
Dez14

De novo juntos!


Olívia

Quem segue o blogue da Família Católica já sabe que haverá um retiro no dia 3 de Janeiro, em Fátima. E nós, se Deus quiser rumaremos ao centro do país para estarmos de novo juntos, desta vez também levaremos a minha mãe!

Esta foi a grande surpresa neste Natal! Há tempos que gostaríamos de voltarmos a encontrar as várias Famílias de Caná, trocar ideias, aprender, partilhar e eis que o Menino Jesus, sempre generoso, nos traz esta oportunidade muito em breve!

Quem nunca participou num destes retiros pode ter a ideia de que será um dia em que se está ali em silêncio, a meditar, a ouvir coisas complicadas, terá a ideia de que as crianças se vão aborrecer ao longo do dia e por isso ficarão renitentes em aceitar o convite da Família Power.

Quem já participou sabe que os momentos de silêncio são também complementados pela alegria, pelos cânticos pela troca de experiências! Sabe que as crianças farão amigos novos, com eles brincarão e no final todos teremos o coração mais alegre, mais feliz, mais enternecido, mais grato! Sabe que o convívio e a partilha nos aproxima uns dos outros, nos aproxima de Deus!

Quem realmente ficou curioso com tantas coisas que aqui vou falando (seguindo a tag família caná), basta aparecer uma vez que o convite foi feito para todos os que lêem o blogue Uma Família Católica.

Por isso hoje também nós aqui lançamos o convite a todos os que querem ser mais felizes independentemente das suas crenças.

Não podia deixar de partilhar aqui convosco uma entrevista que a Teresa deu na Renascença no programa Principio e Fim (ao minuto 6:20), ouçam bem, e vejam lá se não vale a pena conhecer esta forma de viver! 

 

DSCF1370.JPG

 «Onde dois ou três estiverem reunidos em Meu nome, Eu estarei no meio deles!»

Mt 18, 20

 

26
Dez14

Momentos do Natal 2014


Olívia

Aqui fica um registo de alguns momentos deste Natal... este que está a ser um Natal muito simples, com tempo para "estar", tempo para conversar, tempo para cantar, rir, ouvir poesia, ir em busca do tesouro que é Jesus, até tive tempo de tirar umas fotografias coisa que já não acontecia há anos!

Realmente este Natal ficará na nossa memória por todos os bons momentos!

 

A Vida nasce no nosso canto de Oração com esta linda rosa que o nosso jardim ainda nos deu! 

DSCF1303.JPG

 

 

  A mesa pronta para ser lugar de convivio e conversas...

DSCF1306.JPG

 

  Os docinhos feitos com muito carinho... pela minha irmã!

DSCF1307.JPG

 

  A luz brilha anunciando alegria e festa!

DSCF1309.JPG

 

 

  A nossa família junto da Sagrada Família saúda os amigos e familiares!

DSCF1310.JPG

 

 

  A mesa encheu-se de cor!

DSCF1311.JPG

 

 

 Os lugares foram preenchidos com os que amamos!

DSCF1313.JPG

 

 

  Pequenos sinais de luz e brilho...

DSCF1327.JPG

 

 ... espalhados por todo o lado!

DSCF1329.JPG

 

 E no canto de Oração colocámos a saudação do Anjo! 

DSCF1337.JPG

 

 Ainda recebemos este lindo presépio feito pelas meninas e pela avó!

DSCF1334.JPG

 O nosso tesouro, finalmente aqui, em nossa casa e no nosso coração!

10863614_623263687807296_995146351_n.jpg

 

 

 Este está a ser o Melhor Natal de Sempre!

 

 (Os marcadores com os nomes e as lamparinas com os frascos pintados foram feitos pela minha mãe!)

 

25
Dez14

E Deus...


Olívia

... nasceu e veio habitar entre nós!

 

Um Deus Simples, Bom, Compassivo, um Deus de Paz e de Justiça, um Deus de Amor infinito, de Misericórdia sem limites, um Deus feito à nossa imagem e semelhança, um Deus que se alegra connosco, que nos embala nos momentos de angustia, que nos levanta nas nossas quedas, que nos guia nas incertezas!

Da gruta de Belém surge esta maravilhosa notícia!

 

Já nasceu Jesus!

Vinde e Adoremos!

 

DSCF1335.JPG

 

 

Feliz Natal a todos!

 

 

24
Dez14

A simplicidade de Belém...


Olívia

... ensina-nos a dar importância às coisas mais simples.

 

Não nasceu este Menino apenas com o mínimo dos confortos? Com o essencial: a Mãe, o Pai e o amor que os unia numa vida de simplicidade e alegria?

Que neste dia em que andamos sempre tão atarefadas consigamos parar um pouco, alegrarmo-nos com a beleza da gruta em Belém e com esta maravilhosa história do nascimento de Jesus!

Já dizia um sacerdote que connosco conviveu há uns anos: «minhas senhoras sabem porque é que se faz batatas com couves e bacalhau na véspera de Natal? É porque se coze depressa, não precisa de mais nada a não ser sal e azeite, assim têm tempo para estar uns com os outros e não precisam de estar na cozinha todo o dia!»

Palavras sábias que nem sempre escuto... anos houve em que me cansava com mil e uma coisas para fazer, cheguei mesmo a ficar irritada pois a hora da família chegar estava próxima e tanto havia para fazer, depois lá dizia umas palavras menos bonitas...

Este ano vou escutar este conselho, irei fazer o mais simples Natal de sempre, deixando assim tempo para o que realmente importa: O Menino Jesus que nasce e a minha família que se alegra com essa Novidade!

Afinal este é o Natal que vamos viver pela primeira vez, o Natal de 2014, concerteza aí em vossas casas haverá amor, paz, ternura, haverá saudade daqueles que outrora se sentaram connosco à mesa e nos deram a alegria da sua presença, mas haverá também o sorriso daqueles que ainda aqui estão na nossa mesa, na nossa companhia! 

Que Deus vos abençoe nesta linda noite, nesta noite tão feliz!

 

 «Glória a Deus e Paz na Terra

Como é lindo este cantar

É Natal nasceu Jesus

Que do céu nos vem salvar»

 

Pág. 1/4

Quem Escreve

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Aquela Fotografia

O blogue da Margarida

Também escrevo aqui

Bloco de Notas

Baú de Memórias

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D