Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!



Sexta-feira, 16.01.15

Na simplicidade encontramos o caminho

Cada vez mais cá em casa tentamos viver num ritmo mais calmo e apostamos nas coisas simples, como as refeições e a forma como vamos vivendo os nossos dias. Não é por "manias", não é por modas, talvez seja porque esta fase menos boa da nossa economia nos tenha feito repensar muitas coisas, talvez seja porque aos poucos vamos descobrindo que a felicidade nada tem a ver com a quantidade de coisas que temos, mas com a relação que temos uns com os outros e com Deus.

Assim aprendi a ter gosto em amassar e fazer pão em casa, a não passar no take-away porque era mais fácil passando a ter um menu semanal já pensado com antecedência, a mimar a família com pizzas caseiras feitas com as ditas "sobras" do género "tudo o que há no frigorífico", a ter alfaces e frutas no jardim em vez de relva, a fazer bolos em vez de comprar muitos doces, a deixar de ter sumos às refeições e quando possível fazê-los com laranjas da avó...

Depois do texto de ontem da Teresa, que chocou muitas pessoas que acharam que eles gostam de sofrer e que me veio dar ainda mais entusiasmo na forma como tentamos viver também aqui em casa, a muitos quilómetros dos Power, fiquei a pensar na forma como tantas vezes nos mostramos insatisfeitos e resmungões...

De facto não me parece que a mensagem do texto tenha sido «passem frio e deixem os vossos filhos passar frio porque é bom», não haverá na mãe Teresa o mínimo de negligência na educação dos seus filhos, apenas existe uma forma muito positiva de encarar as contrariedades da vida, saber agradecer o que se tem e deixar de passar a vida a pensar naquilo que não se pode ter, esta foi pelo menos a "lição" que tirei do texto.

Ainda ontem, à saída da escola da Maria, caiu uma chuvada tal que nos cerca de três minutos que demoramos a fazer o caminho até à loja ficámos todas molhadas, nem os chapéus nos valeram... quando chegámos finalmente a porto seguro a Maria estava bastante irritada, em vez de lhe dizer que tinha razão por estar assim ou que a culpa é da chuva e de Deus que não nos manda sol, recordei-me do texto que tinha lido de manhã e apenas lhe disse que podia vestir uns colans secos e que não era assim tão mau, afinal lembro-me de grandes molhas que apanhei a caminho da escola pela manhã e depois não havia nada a fazer, era enxugar a roupa no corpo e esperar pela tarde para ir para casa!

São pequenos sacrfícios que fazemos nos nossos dias que nos aproximam uns dos outros, que nos aproximam da simplicidade... toda esta conversa recordou-me quando se ouviu por todos os meios de comunicação social Isabel Jonet dizer que não se podia comer bifes todos os dias, eu sei que também nessa altura ficou tudo chocado, menos eu, que já tinha chegado a essa conclusão... por cá também se come sopa, omeletes, pão com qualquer coisa, atum com batatas, sobras e por aí fora... se tenho pena que nem todos possam comer bifes todos os dias? Tenho, todos deviam poder escolher o que comer independentemente de comerem ou não, mas na verdade estamos muito longe disso. Posso ralhar, revoltar-me e bater o pé, queixar-me, mas no fim do dia as nossas refeições não mudam por causa disso!

Colheita 2012 004.JPG

«Feliz o homem que teme o Senhor e gosta de cumprir os seus mandamentos,benditos serão os descendentes dos homens honrados. Em sua casa haverá abundância e riqueza e a sua prosperidade durará para sempre.»

SALMOS (111)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisa de temas

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Frases nossas

«Mais do que um processo judicial ou burocrático adoptar é amar uma criança e torná-la nossa filha»

Fale connosco através de

olivia.adocao@sapo.pt