Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

30
Abr15

A Biblioteca da Mãe # 9


Olívia

Durante um destes fins-de-semana precisei de estar em repouso durante algum tempo para "curar" umas dores nas articulações que apareceram sem razão aparente, mas que me levaram a perder alguma força nos joelhos e nos pulsos. Felizmente que já passou, na impossibilidade de tomar daqueles comprimidos fortes para as dores tive de render-me ao sofá e parar.

 

Para me entreter fui intercalando a leitura de livros católicos com um livro pequenino que tinha recebido há tempos nas trocas.

 

O livro chama-se "Milagre em Nova Iorque" e está classificado pela autora - Luanne Rice - como um conto de Natal.

 

O certo é que ler um livro com uma história passada em pleno inverno e no Natal numa altura de Páscoa e primavera não tem o mesmo encanto... confirmei aquilo que já suspeitava: para mim, livros de praia são bons para ler no verão, livros com histórias de gelo são para ler no inverno.

 

O livro/conto em si não é nada de especial, é uma história de família, mas de uma família diferente, com muitas feridas para curar e apesar de todos se amarem têm formas muito diferentes de ver a vida.

 

Para completar este conto falta ainda uma terceira pessoa, também ela com grandes coisas por descobrir, uma delas é como refazer a sua vida!

 

Foi um livro daqueles bons para desanuviar, que me deixou um novo hábito para quando passeio/caminho pelas cidades e aldeias, se quiserem saber qual é basta ler o livro até ao fim... provavelmente vou voltar a ler este livro no inverno, à lareira, a olhar para a minha árvore de Natal/Jessé cheia de pequenas luzes cintilantes e cheia de promessas, sonhos, histórias e sentimentos!

 

Só para terminar adorei a primeira página, que tinha uma carta da autora para os leitores portugueses, manuscrita (!!!) onde estava uma curiosidade que me deixou a gostar ainda mais de ler livros seus!

 

 

 

 

 

 

IMG_20150429_221846.jpg

 

 

 

29
Abr15

Coisas de grávida #2


Olívia

Gostava de registar neste meu espaço a alegria que esta gravidez me tem dado!

 

Quem diria que a mesma Olívia que jamais queria voltar a engravidar tivesse hoje a certeza de que na verdade nos faltava "algo" na nossa família, sim, em conversa lá em casa já tínhamos dado conta dos lugares vagos à mesa durante as refeições... seis cadeiras, quatro pessoas... eu sei... a Maria também disse que mesmo assim ainda falta ocupar uma cadeira, mas nunca se sabe o futuro e neste momento aprendi a saborear cada dia, sem tentar fazer planos com antecedência, sem estar sempre a ponderar tudo.

 

A seu tempo tudo se vai resolvendo, por isso nada como ir agradecendo a Deus por cada coisa do nosso dia, e esperando para ver que surpresas mais ainda teremos nas nossas vidas!

 

Ora se o meu estado de espírito anda a ficar uma maravilha, tanto que nos últimos dias já ouvi mais do que uma vez o comentário (que me deixou cheia de alegria):

- Estás feliz, não estás? Nota-se! Estás uma grávida muito bonita!

 

(Pronto foi um breve momento de vaidade eu sei...)

 

Finalmente chegou a altura de dizer adeus às minhas lindas calças de ganga, que após ter perdido seis quilos voltei a vestir em Março, eu já sabia que ia ser sol de pouca dura e fiquei contente por me terem finalmente servido... mas enfim, agora já não servem!

 

O nosso bebé deve estar a crescer bem e o botão das calças normais já não aperta, mas fiz uma descoberta, no fundo de uma gaveta estavam umas calças da gravidez da Maria, nem sei como, pois eu tinha ideia que tinha dado tudo, fui vesti-las e no domingo na missa toda a gente se admirou com a barriga já a notar-se tanto (a roupa de grávida tem logo esse efeito), de todas as formas já tenho mais dois pares que comprei naquele site que começa por "O" e acaba num "X"!

 

São tantas as mudanças na nossa vida que eu já nem me recordava, outras nunca tinha passado por elas, como os enjoos, os desconfortos e os "desejos"...

 

...Quanto a isso vou só registar aquele que me parece o mais "flagrante", lá em casa todos sabem que eu não gosto de leite, nem do cheiro nem do sabor, eu não bebo leite desde a gravidez da Maria e mesmo nessa altura só bebia um copo pequenino para que a minha mãe não me ralhasse... mas na outra noite... quando fui arranjar um copo para a Maria beber antes de ir para a cama...

 

... já se está mesmo a ver...

 

 

... fui beber leite e voltei a repetir... e digo: soube-me tão bem, mas tão bem que ninguém faz ideia!!!

 

Entretanto já voltei a beber mais vezes, e sim, quente e sem açúcar!

 

 

DSCF6149.JPG

 

 

As coisas de grávida são mesmo assim!

 

Não é para entender, é para sentir!

 

 

 

 

28
Abr15

Rostos e Vidas


Olívia

Estamos a chegar aos últimos dias de Abril, o que significa que a 1ª fase dos IRS está a terminar, e significa também que está na altura de começar a devolver os papeis a todos os que por aqui têm passado e confiado em mim para tratar das suas vidas.

 

Muitas destas pessoas vêm cá há cinco anos, tantos quantos aqui estou, outras foi o primeiro ano. Cada uma destas pessoas tem uma história de vida que não se resume a números e faturas de despesas, muitas têm uma vida complicada, muitas estão sós.

 

Eu tenho vindo a conhecer cada uma destas pessoas, ouço as suas angústias, tento levar algum conforto a vidas destroçadas e a situações dolorosas, tento não julgar, nem tão pouco compreender, pois como me dizia a minha professora de português do 11º ano que perdera um filho nessa altura «nunca ninguém diga que compreende se nunca passou por isso».

 

Existe em cada rosto, em cada vida uma história única, em cada papel pequenino da "reforma por viuvez" existe um casamento que terminou, mas um amor que na maior parte das vezes perdura... e eu no meio da azáfama, do corre-corre dos dias tento que em cada um dos momentos que alguém está aqui perante mim a contar-me coisas íntimas dar-lhe toda a minha atenção, tento ser um pouco de luz, ainda que nem sempre brilhe com força, pelo menos que alumie alguma da escuridão.

 

Não o faço para ser mais nem melhor do que ninguém, faço-o por gosto, porque me sinto bem a fazê-lo, porque sou assim. Não o faço apenas pelo dinheiro que recebo em troca destes serviços contabilísticos, faço-o pois sei que sou mais feliz levando este conforto aos outros, porque sei que "O que fizestes a um destes mais pequeninos foi a Mim que o fizestes».

 

Andei muito tempo em busca de uma forma de "visitação" e não encontrei nada nos meus dias que considerasse digno de o ser. Um dia perguntei-me se estes encontros com o "outro" não seriam de facto isso mesmo, uma forma de levar Deus e oferecê-lo no meu dia-a-dia a quem comigo se cruza, e percebi que talvez não seja preciso realizar nenhum feito extraordinário, talvez baste na minha simplicidade ser como sou...

 

E depois, de vez em quando, recebo destes mimos:

 

 

IMG_20150427_155310.jpg

 

Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte: nem se acende a candeia para colocar debaixo do alqueire, mas sim num lugar em que alumia todos os que estão em casa ."

MATEUS 5:14-15

 

 

 

27
Abr15

«Depois da tempestade vem a bonança»


Olívia

Este dito popular é bem verdade, pelo menos até vir outra tempestade!!! 

 

Aos poucos os maiores desconfortos da gravidez começam a atenuar-se, o sono já não é tanto, a energia já parece estar de volta pelo menos para fazer as tarefas básicas do dia-a-dia, os enjoos já não duram o dia todo e finalmente consigo fazer e comer as refeições sem ficar tão enjoada!

 

Doze semanas já passaram! Faltam mais vinte e oito, que espero sejam vividas com toda a tranquilidade e com muita alegria!

 

Assim que passe esta azáfama de Abril e Maio conto começar a pensar na lista de artigos básicos que irei precisar a ver o que me falta, afinal a chegada de um bebé a uma casa onde já não há bebés há seis anos exige que se preparem as coisas com calma e com carinho!!!

 

Com esta melhoria convém que eu pense em aproveitar para ir organizando algumas coisas cá em casa, fazer umas limpezas que têm ficado a meio... e claro que temos de reorganizar os quartos, trocar as mobílias e pintar as paredes que bem precisam... isto é: andar com as mobílias de um lado para o outro e gerir a melhor forma de acomodar os nossos filhos!

 

Quero ainda organizar os roupeiros com a roupa de primavera (não sei se vale a pena, com estas chuvadas) e voltar aos belos e bons hábitos que já faziam parte das nossas rotinas e que com tanto mau estar e falta de energia fui descurando quase por completo...

 

Um deles é voltar aos menus semanais para não ter de me preocupar todos os dias a pensar na velha questão: "o que é o jantar hoje?", por isso perco meia hora a ver o que há na despensa, no frigorífico e no congelador e escolho as refeições da semana toda, em princípio o que temos chega e por isso não é preciso andar a caminhar para as compras todos os dias. A minha irmã ofereceu-me este quadro muito bonito, depois foi só fazer os menus e cada semana vou mudando, quando me apetece troco as refeições entre os dias!

 

1430058355269.jpg

 

Um outro hábito que nos deixa sempre mais felizes e tranquilos é o momento de oração da noite, que devido a inúmeras coisas já por aqui escritas antes tem vindo a ficar... cada vez mais reduzido.

 

Ontem depois de ouvir a entrevista da Teresa tive a noção de que muitas vezes nos afastamos dos nossos ideais e nem damos conta, por isso há que voltar a ler a história da bíblia, cantar, rezar...

 

Muitas pessoas não entendem o porquê de tudo isto e acham que eu sou diferente, mas a verdade é que eu gosto de ser assim!

 

1430069669897.jpg

 

 

 

 

 

26
Abr15

Desafio - Conheces o teu blogue?


Olívia

Andamos numa de desafios aqui no "Bairro dos blogs do Sapo", eu até nem era muito destas coisas, mas confesso que por vezes faz bem desanuviar a cabeça e responder a perguntas sobre assuntos que nunca nos lembraríamos de falar aqui no blogue.

 

Posto isto, fui nomeada pelo Rúben do blogue Um adolescente coisificando coisas de adultos (para quem não conhece, vá lá espreitar que vale a pena) para este desafio, cujas regras são as seguintes:

 

-Responder a todas as perguntas;

- Nomear 5 blogues ou fazeres por ti mesmo e comentar no blog onde viste a TAG.

 

***---***

 

1. Há quanto tempo tens o blog?

Há 9 meses.

 

2. Em que dia é que o teu blog foi criado?

No dia 1 de Julho de 2014.

 

3. Sem ires ao painel, quantas visualizações tens, aproximadamente?

Fiz um texto sobre isto, mas já não me recordo... visitas eram 10.000, as visualizações serão cerca muitas... desde o início até agora...

 

4. Sem ires ao painel, quantos comentários tens, aproximadamente?

Ao certo não sei mas já passamos os 950!

 

5. Quantas mensagens publicadas tens?

Mensagens são os textos, certo? Por isso devem ser 300 e qualquer coisa...

 

6. Quantos seguidores tens?

Trinta e poucos do sapo blogs, mais alguns que não tendo blogue ou tendo noutra plataforma continuam a vir aqui espreitar!

 

7. Quem mais sabe da existência do teu blog?

As famílias de Caná e um ou outro amigo...

 

8. Já alguma vez pediste conselhos a outro blogger?

Já, costumo falar com a Teresa a respeito de alguns temas.

 

9. Lembras-te perfeitamente de todos os layouts que o teu blog teve?

Sim, o 1º foi «uma página arrancada de um caderno de argolas», muito bonito e simples, depois mudei para este que tem mais cor!

 

10. Que opinião achas que as pessoas têm do teu blog?

Grande parte continua a voltar o que é bom sinal! E quando comentam... são os maiores!!!

 

Nem sei se estas respostas dão direito a "positiva", acho que não estudei para o teste...  

 

5 blogues que desafio:

 

As surpresas de Deus

Uma Caravana no Deserto

Alheia a tudo ou talvez não

Bata e Batom

Dicas de uma farmacêutica

 

 

 

25
Abr15

Famílias numerosas


Olívia

Quando soube da gravidez quis dar logo a novidade a várias pessoas. A umas contei pessoalmente, a outras, porque estão muito longe, contei por mensagem. De uma destas pessoas (uma amiga dos tempos de estudante) chegou uma resposta bastante entusiasta com a pergunta: «já podem ser considerados uma família numerosa não é?»

 

Isto realmente soa um pouco estranho... até parece que não tem muita lógica, pois uma família numerosa para mim deveria ter uns cinco filhos, pelo menos!

 

Fui pesquisar sobre o assunto num daqueles momentos "calmos" (ainda em Março) e o que descobri eu? Muita coisa, é certo. Mas nas Perguntas Frequentes podemos ler:

 

Porque é que consideram numerosa uma família que só tenha 3 filhos?

Debatemos bastante este assunto internamente.
Estávamos hesitantes entre 3 e 4 filhos.
A decisão de 3 filhos foi tomada quando soubemos que a Expo vendia bilhetes de família para casais com 2 filhos.
Família numerosa é aquela que contribui para que a média nacional seja superior a 2 filhos por casal.
Internacionalmente é também este o padrão seguido.
Outra maneira de ver esta questão é olhando para o índice sintético (2,1) que permite a reposição da população.
Só as famílias com 3 ou mais filhos é que contribuem para a reposição da população."

 

Então está visto que passar de dois para três filhos nos dá o estatuto de família numerosa!

 

Eu até acho que "numerosa" vai mesmo ser no número de vezes que terei de repetir as mesmas coisas, no número de vezes que vou ouvir "oh mãe...", na quantidade de louça e de roupa suja... e provavelmente no número de beijinhos, mas não deixa de ser engraçado, há uns meses éramos uma família dita normal e hoje somos uma família numerosa... em termos de filhos!

 

Claro que não vamos colocar o autocolante no carro... 

 

Familias_numerosas.jpg

 

 ... ainda!

 

 «Os filhos são uma herança do Senhor , eles são a sua recompensa. Os filhos nascidos na nossa juventude são como flechas nas mãos dum guerreiro. Feliz o homem que tem muitas dessas flechas!

Não será envergonhado pelos seus inimigos, quando tiver de se defender diante dos juízes.»

Sl (126) 3-5

 

 

24
Abr15

Ser representante dos pais...


Olívia

É uma aventura...

 

Todos os anos no final do ano lectivo penso nunca mais me voluntariar para o efeito... mas no ano seguinte acabo por voltar a fazê-lo.

 

E porquê? Porque me parece que ser representante dos pais não exige assim tanto de nós e é preciso que alguém fique com esta tarefa.

 

Neste ano, na reunião do 8º precisei de sair mais cedo para poder ir à reunião da Maria que era a primeira por isso já lá não estava quando foram eleitos ou nomeados os representantes o que significa que eu não sou. Na reunião da Maria ninguém se voluntariou e eis que eu digo que não me importo de ser a 2ª representante, logo outra mãe se ofereceu para ser a primeira.

 

Toda esta conversa para relatar uma questão da máxima importância que havia para discutir no final da reunião da entrega das notas do 1º período juntamente com o director da escola e que daria origem a mais uma hora de reunião noutra sala.

E «qual era o assunto da máxima importância?» Podem perguntar vocês... eu digo:

 

- Alguém tinha tido a ideia brilhante de que todos os alunos da escola deveriam adquirir uma camisola de uma cor específica para usar nas duas, vá lá, três saídas da escola, sendo que duas delas são no inverno e por isso a dita camisola nem se vê debaixo do casaco.

 

Eu sou do tipo de mãe que detesta "peneiras", mas para saber o que dizer na reunião seguinte onde só estariam os representantes pedi aos pais que se manifestassem. As opiniões dividiam-se, a maioria não se importava dependendo do valor, alguns pais recordaram que existem crianças na escola que nem sequer vão às visitas de estudo pois os pais não têm como pagá-las... e há que recordar que 150 crianças comem o pequeno almoço na escola e fazem lá as refeições nas férias porque em casa a comida não chega...

 

Recordaram ainda alguns pais que a professora da sala, por iniciativa própria, contactou várias empresas e uma destas empresas ofereceu chapéus para todos os meninos da turma. O que prova que se calhar existem empresas que até davam as camisolas a custo zero!

 

Nem vos vou falar muito do que se seguiu na outra sala, mas dá-me a sensação que este é um país que vive para as aparências, que não importa mais nada a não ser gastar dinheiro em coisas que não acrescentam nada... nada de nada... eu transmiti aquilo que ouvi na nossa sala, os outros pais fizeram o mesmo, mas ao que me pareceu aquilo já estava mesmo combinado, a reunião foi uma mera formalidade.

 

É por estas e por outras que no próximo ano lectivo eu não me vou voluntariar... 

 

depositphotos_25269219-Colorful-Blank-T-Shirt-Coll

 (imagem)

 

 

 

 

23
Abr15

A preparar uma apresentação...


Olívia

 

... sobre o tema «A Palavra de Deus e os Jovens»

 

Tenho dedicado alguma parte do meu tempo a fazer aos poucos a apresentação para o nosso pequeno grupo partilhar no dia 25 de Abril nas XX jornadas da Família Andaluz em Fátima.

 

Não tem sido nada fácil ajustar as tarefas que já tenho com estas actividades de evangelização, por vezes parece que o tempo não chega, as forças são cada vez menos e a vontade de desistir começa a fazer sentido por alguns instantes... pensamentos do género «porque é que eu digo que faço estas coisas se já sei que não tenho tempo?» ou outros ainda piores... começam a aparecer com frequência.

 

Na verdade, sempre que chegamos a um estado de cansaço começamos a questionar se realmente somos capazes de fazer isto e aquilo, começamos a duvidar de nós e das nossas capacidades... e a tendência é mesmo abandonar alguns projectos em mãos e descansar.

 

É que nos últimos tempos com a Maria a passar por uma fase de pausa escolar por causa das doenças infecciosas a coisa tornou-se ainda mais cansativa e preocupante...

 

Mas como podia eu descansar sabendo que, apesar de sermos o grupo mais pequeno, a coordenação está a fazer conta com o nosso contributo durante a tarde?

 

Muitas vezes há que entregar todas estas dúvidas e cansaços nas mãos de Deus, pois nos momentos de maior desanimo, no meio das grandes tempestades é que nos sentimos resgatados pela Sua mão...

 

Posto isto e sendo necessário fazer uma pausa fiscal resolvi colocar mãos à obra e escrever sobre os jovens, sobre os seus medos e dúvidas, sobre como a Palavra de Deus é oportuna em tantas situações e sobre como a podemos ter todos os dias perto de nós, para isso tive de cometer um "crime" e "roubar" algumas ideias da Marisa e a ideia brilhante da Teresa para uma dinâmica no final... claro que vou passar a hora do almoço no encontro a cortar maçãs e a embrulhá-las para ser surpresa, mas vai valer a pena.

 

Todo este esforço vale a pena, e o melhor de tudo é que nestes três últimos dias, quando tudo parecia estar mais confuso ganhei uma energia extra, e estou a conseguir fazer aquilo a que me tinha proposto! Ainda tenho de escrever mais alguns pontos para o texto, mas a apresentação está concluída.

 

Pois como já é habitual ouvirmos nos Retiros das Famílias de Caná: «Deus nunca se deixa vencer em generosidade»

 

E por falar nisso, em Maio, no dia 16 rumaremos mais uma vez ao norte, desta vez é mesmo ao norte e estaremos presentes no Retiro em Castelo do Neiva (perto Viana do Castelo), vai ser tão bom, que mal podemos esperar!!!

 

Havemos de encontrar caras conhecidas e espero que encontremos também muitas caras novas, vamos passar um dia em cheio, vamos aprender tanto! Vamos partilhar experiências, vamos, mais uma vez, trazer para casa uma riqueza incalculável. 

 

Vamos também divertir-nos em família, quase que ia dizer que era o nosso primeiro passeio os cinco, mas no último retiro do dia 7 de Março já cá estava o pequeno bebé!

 

... nós é que só desconfiávamos!!!

 

DSCF5280.JPG

 

 

 

 

 

22
Abr15

O Milagre da Vida


Olívia

Quando à minha volta só ouço notícias horríveis de atentados, massacres, naufrágios, acidentes, crimes contra a vida humana não posso deixar de ficar profundamente triste, profundamente tocada por cada vida que se perde muitas vezes por culpa de alguém que se acha mais importante do que os outros...

 

Existem alturas em que preferia nem saber o que se passa neste nosso mundo só para não ficar assim, mas mesmo que eu não saiba, essas coisas não param de acontecer...

 

Já por aqui disse muitas vezes que a vida é para mim o bem mais precioso que pode existir e sei que a minha vida tem o mesmo valor que a da Ana, da Dora, da Rute ou da Teresa, que a dos meus filhos ou do mendigo que pede esmola, do jovem que se perdeu nas teias da droga ou dos que são perseguidos... cada vida é um milagre!

 

E eu sinto-me verdadeiramente abençoada por saber que aqui, dentro de mim uma nova vida se está a gerar, uma nova pessoa, um novo ser cresce a cada dia e ganha força, sou eu que o alimento, sou eu que o protejo como bem precioso que é.

 

Na segunda-feira fomos fazer a ecografia do primeiro trimestre, e eu ia receosa, afinal ainda não sinto nada do que se passa cá dentro, sei o que deverá ir acontecendo pois vou lendo sobre o assunto e recordo a primeira vez que estive grávida, mas o momento de ver naquele écran as imagens que nos mostram o nosso bebé e ouvir o som do coração que bate a toda a velocidade é sempre uma grande emoção! 

 

O nosso pequeno bebé está agora com 4,5 cm da cabeça ao rabinho, tem 11 semanas e 2 dias e deverá nascer na primeira semana de Novembro!

 

Quando me fui deitar não resisti e fui buscar a folha A4 que continha as imagens do nosso bebé e fiquei ali a olhar durante algum tempo para aquelas medidas... como é preciosa aquela vida tão pequenina! Como é amado este ser que ainda nem sabemos como é!

 

Depois olhei para cima da minha mesa de cabeceira e lá estava ainda o nosso Menino Jesus que colocamos sempre no presépio na noite de Natal, ao olhar reparei que as medidas que estavam escritas no papel são aproximadamente as mesmas desta imagem

 

 

1429645796028.jpg

 

 

De manhã mostrei à Maria que o embalou como um bebé e explicou à Margarida o que eu já lhe tinha explicado!

 

Ainda é pequenino, mas está a crescer e este é o nosso grande milagre!

 

Receber uma criança e amá-la faz-nos ainda mais felizes!

 

 

 

 

 

Pág. 1/4

Quem Escreve

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Aquela Fotografia

O blogue da Margarida

Também escrevo aqui

Bloco de Notas

Baú de Memórias

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D