Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

A grande dificuldade

Está em conseguir fazer muita coisa em pouco tempo.

 

O domingo foi em tempos o dia Santo por excelência, dia de descanso. Dia da família, do convívio, dos passeios e piqueniques. 

 

Entretanto, enquanto o mundo avançava nas tecnologias e em modernizar tudo e mais alguma coisa... algo se passou... neste momento, o domingo tem de servir para tudo, porque durante a semana (sábado por vezes também) temos de trabalhar e não damos conta de todos os afazeres...

 

Este foi um fim de semana muito atarefado, era suposto adiantar muito nas limpezas, mas entre o dizer e o fazer vai um quilómetro... trabalhei no sábado de manhã e à ida para casa aproveitei para ir ao supermercado, a ida rende sempre mais quando estou sozinha... tudo à pressa porque, desde há uns tempos, a nossa missa do primeiro domingo do mês passou para o sábado à tarde. Posto isto, como a ida à missa está no topo da lista de prioridades, o dia foi organizado em função dessa hora.

 

O resto da tarde passei a tentar avançar na organização da entrada enquanto a Lúcia fazia a sesta, as manas foram para a avó para estarem com a minha irmã que veio a casa festejar o seu aniversário! A grande surpresa foi que afinal estava sol, uma beleza! 

 

Mas, o domingo acordou chuvoso. O que significa que não dá para brincar lá fora. Enquanto eu ia dando a volta à biblioteca, a Lúcia dava a volta a tudo o que encontrava pela frente... vale a preciosa ajuda das manas p'ra tentam controlar a menina traquina!

 

Enquanto a Lúcia carregava a pilha dormindo a sesta da tarde aproveitámos para fazer a nossa catequese, esta semana decidi seguir o ensinamento mensal das famílias de Caná e falámos sobre a aparição do anjo "relatada" sob a perspetiva da Jacinta, terminámos a fazer um puzzle que nos foi oferecido e que tem a oração do anjo e rezámos o terço.

 

1488921884299851963948.jpg

 

Mais tarde, vendo que tínhamos uma aberta, mandei toda a gente para a rua, a Margarida foi dar uma corrida para fortalecer os músculos e espairecer do estudo que tinha estado a fazer, a Maria levou uma bola para "jogarmos" com a Lúcia, até o pai não resistiu e largou os seus afazeres para vir brincar um bocadinho connosco. Já cansadas e cheias de alegria regressámos a casa, depois de termos ido fazer umas festas nas cadelinhas que a junta de freguesia adotou (porque as largaram na aldeia) e levou para viverem perto da nossa casa.

 

Eram cinco e meia e eu já falava em fazer o jantar, claro que as minhas filhas acham cedíssimo, mas eu tinha grandes planos: aproveitar o forno de lenha aceso e fazer logo mais uma ou duas refeições para me poupar durante a semana - que é como quem diz, para ter tempo de passar o monte de roupa que não consegui fazer no fim de semana!

 

O dia terminou cedo, era precisa descansar de tanta brincadeira, estudo e limpezas. Ao olhar a bancada da cozinha cheia de loiça suja, mesmo sem vontade, lavei tudo.

 

Um pequeno sacrifício que ofereci por uma boa causa!

 

Nesta quaresma vou esforçar-me por devolver ao Senhor o Seu dia, procurando não passar tanto tempo de volta da casa e fazendo mais atividades em família!