Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

A jovem Mãe

Maria foi uma mãe ainda muito jovem, a esta mãe foi pedido aquilo que se pede a uma mãe: amar o filho e educá-lo segundo as suas crenças, segundo a lei dos homens e a Lei de Deus. Desde cedo que ela se dispôs a cumprir tudo aquilo que lhe foi pedido, indo a Belém já bem perto do final da sua gravidez, junto com José seu esposo e cheia de confiança, certamente.

No meio da confusão da cidade andaram de porta em porta e não havia lugar para eles... as dores apertaram e quem já foi mãe deve estar a recordar-se mais ou menos como foi... deverá ter procurado apoio no marido pois era o único ali com ela... e em Deus... Como devia estar assustada esta mãe... eu estava quando chegou a minha hora e estava rodeada dos vários confortos de um hospital. 

E o Menino nasceu! Ó quanta alegria deve ter sentido a jovem Mãe, ali estava o seu bebé pequenino, junto de si. Ali estava a Palavra que se cumpria, a Vida que nascia, juntamente com a alegria nós mães sabemos o que se sente... o medo de não saber o que fazer, como fazer, de não sabermos como proteger os nossos filhos...

No meio da noite escura apareceram lá uns pastores, aqueles que eram considerados "cidadãos de segunda" pois passavam as noites ao relento com o rebanho, eles entraram e prestaram homenagem ao Salvador que acabava de nascer, pois se foram os Anjos do Senhor que lhes disseram!

Mais tarde vieram os Magos do Oriente dizendo que traziam presentes para o Rei!

Maria guardava tudo isto no coração, Maria a jovem mãe a quem era pedido ainda mais uma coisa, que apresentasse o seu filho no templo, oferecendo assim o Seu Menino a Deus, o mesmo Deus que lho havia dado!

Maria e José não hesitaram, lá encontraram Simeão e mais uma vez foram surpreendidos pelas suas palavras:

«Este Menino foi estabelecido
para que muitos caiam ou se levantem em Israel
e para ser sinal de contradição;
— e uma espada trespassará a tua alma —
assim se revelarão os pensamentos de todos os corações».

 

A verdade é que a Maria ainda havia sido pedida mais uma coisa, que este seu Menino fosse entregue por nós, que quando chegasse a hora ela o deixasse cumprir aquilo para que nasceu... que um dia Ele morreria numa cruz!

E, mesmo sem entender que, por causa desse seu gesto de amor e entrega, todos teríamos a vida eterna um dia, Maria no meio da sua juventude soube confiar e dizer SIM!

Deixo-vos aqui uma versão desta música que resume tudo o que aqui tentei escrever e não consegui, a primeira vez que a ouvi foi no blogue da Marisa, Marisa obrigada!