Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Coisas de grávida #3

Uma das primeiras preocupações que tive assim que confirmei a suspeita de que estava grávida foi deixar de tomar medicamentos.

 

É certo e sabido que durante a gravidez temos que tomar bastante cuidado com o que comemos, com o que bebemos e com a medicação que fazemos. Normalmente eu não tomo medicamentos com frequência, a não ser a medicação para as alergias, bronquite asmática e essas coisas maravilhosas que ficam em estado de alerta nesta altura do ano.

 

Ora, ao ler o folheto informativo (sim, naquela parte que passava sempre à pressa e que diz em caso de gravidez...) vi que era necessário falar com o médico para saber se os benefícios justificavam a continuação das tomas do dito medicamento e por isso parei de usar.

 

Escusado será dizer que em pleno Março e a viver entre as lindas árvores da aldeia mais cedo ou mais tarde ia ter um daqueles ataques de falta de ar que não há hipótese.  

 

Tinha estado (em Fevereiro) na loja uma senhora que olhou para mim, e disse logo que eu estava naquela fase mesmo feia das alergias pois notava-se a falta de ar e disse-me que tinha resolvido o problema da asma dela de uma forma muito simples, há seis anos que nunca mais tinha andado como eu estava.

 

E contou-me o segredo.

 

Bem não era segredo nenhum, mas o que é certo é que eu não fiz muito caso daquilo que me disse, pois pensei "lá estão as pessoas a inventar". Ao ver-me aflita e sem querer usar a minha "bomba" recordei-me da senhora e do que me disse.

 

Ela contou-me que comprou alcachofras e as cozeu na sopa, depois triturou e comeu, também fez chá com as "folhas" em verde, foi assim que se tratou e agora quando está aflita apenas toma as cápsulas naturais de alcachofra.

 

Eu pensei cá para mim, "perdida por cem, perdida por mil" vou experimentar. Alcachofras é que nem vê-las... pelos vistos aquilo não chega aqui ao interior... o meu marido sempre um querido, foi ao mercado em Benfica/Lisboa e perguntou por todo o lado e nada, mas numa das bancas disseram-lhe que podiam arranjar por encomenda, e assim uns dias depois chegam as alcachofras a casa!

 

Aquilo parece uma flor de um cacto, cortei uma folhas e fiz uma infusão, só de a beber dois dias notei uma melhoria, mas depois de fazer um creme de legumes com a dita alcachofra então nem se fala do alívio que foi! (O creme da sopa tem de ser passado por um passador pois fica com uns fios rijos que fazem impressão, mas nem se nota outro sabor).

 

Todos comemos aquela sopa, eu melhorei e muito! Passadas duas semanas voltei a piorar e como não tinha mais alcachofras comprei no supermercado o "chá" de flor de alcachofra, que não fez o mesmo efeito, mas deu para aliviar os sintomas das dores de cabeça, pingo no nariz, mil e quinhentos espirros por hora, olhos vermelhos, falta de ar... por isso está para breve mais uma encomenda aos senhores do mercado, que agora já sei como sobreviver a esta época sem prejudicar o meu bebé!

 

Alcachofra-cesta.jpg

 (Imagem)

 

 

Fica a dica para quem precisar, é natural, não tem efeitos secundários, muito menos contra-indicações!

 

 

 

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D