Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Dias quentes

Temos vivido este verão dias quentes, muito quentes. Eu nem sou de me queixar muito, sei que é verão e que nesta altura as temperaturas sobem. Daqui por uns tempos hão de descer e virá o frio. No entanto este ano tem-me custado mais perceber que o calor incomoda e muito a nossa pequenina Lúcia, nota-se que perde o apetite, custa-lhe, muito adormecer... e por aí fora. 

 

Há uma espécie de instinto protetor numa mulher que se torna mãe. Sentimos uma certa tendência a querer proteger os nossos filhos de tudo quanto não for muito bom. E isto nota-se  muito mais no primeiro filho, as roupas, a caminha, os cremes, as chuchas... tudo do melhor (dentro das possibilidades), eu senti isso e fui assim. Desta vez a coisa foi diferente, estou muito mais descontraída, veste o que há, como as sopas que congelo à semana, deixo-a gatinhar por tudo o lado, deixo-a apanhar as coisas do chão e meter na boca... estou a ensiná-la a não sair porta fora quando está comigo na loja e a dita porta está todo dia escancarada... deixo-a brincar com o que apanha por aqui (caixas vazias, revistas, sacos de papel...)

 

Por momentos cheguei a ter pena desta menina que tem de estar nove horas fechada numa loja, quando lá fora estão 40ºC e sem ar condicionado... depois basta deixar de olhar para o nosso umbigo e levantar a vista para perceber que existem meninos e meninas que suportam muito mais do que o calor abrasador do verão e essa perspectiva faz com que a nossa vida não nos pareça assim tão má.

 

Por muito que queiramos, nós mães/pais nunca conseguiremos proteger os nossos filhos de tudo, nunca conseguiremos impedir que se magoem (física e psicologicamente), nunca poderemos evitar que apanhem valentes desilusões... nós estamos aqui para os amparar e para ajudar, para curar as feridas e incentivar, estamos aqui durante toda a sua vida enquanto pudermos, mas nunca conseguiremos tomar as suas dores ou impedir as suas frustrações... 

 

 Ser mãe/pai também é sofrer pelos filhos e com os filhos, mas sem nunca se deixar abalar e sem nunca deixar de mostrar que não importa o que aconteça, estaremos sempre aqui!

 

 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D