Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Então Olívia conta lá...

... essa pausa no fim de setembro como correu?

 

 Correu bem já que as semanas antes foram uma desgraça!

 

E sim, por aqui o outono também traz destas coisas, muitos problemas, uns mais graves do que outros, muitas ideias, carradas de projetos, uma vontade louca de querer fazer muita coisa e um cansaço extremo que me deixou de rastos. Aquela sensação de que nada corre bem, de que sou uma coitadinha e tudo lá fora é feio, escuro, triste e muito mau apoderou-se da minha cabeça!

 

Afastei-me das coisas mais importantes (e das menos importantes) e comecei a atingir aquele estado em que nada anima, nada de nada! Sim, nem mesmo um chocolate ou uma fatia daquela pizza muito boa lá do Lidl (oh sim, agora vamos muito lá), enfim andei aqui numa espécie de urso hibernado.

 

Aos poucos fui lutando contra este desanimo, as vitaminas estão a ajudar, comecei a andar menos na Internet e peguei num livro (o mesmo que leio todos os anos): eu gosto dele, gosto muito. Depois desse seguiu-se um dos poucos que tinha ainda por ler. E surpresa das surpresas fiquei rendida!

 

Assim, comecei a abrir os olhos e a ver (com o coração) que por mais sombria que possa parecer a nossa vida, há sempre esperança. Passei a olhar mais para o que é positivo e a registá-lo num bloco, tentei evitar ver logo o lado pior das coisas. Aceitei com humildade aquilo que nunca poderei mudar. Retirei de dentro do peito a raiva e a angústia por não fazer mais e melhor. Retomei alguns dos meus projetos e arrumei outros bem arrumadinhos até um dia lhes pegar.

 

Decidi que de agora em diante vou adotar o lema: "escreve para ti e por ti" independentemente de quem está a ler do outro lado a ler, só assim posso ser sincera.

 

Se já estou bem?

 

Não. Nem perto.

 

Mas encaro esta luta com mais positivismo.

 

 

 

 

11 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D