Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

"Formiguinha"

Todos sabemos que a formiga é sem dúvida um dos mais fortes seres vivos ao cimo da terra, conseguem carregar com pelo menos 10 vezes o seu peso, são lutadoras persistentes e muito inteligentes!

 

Depois desta micro aula de ciências quero aqui homenagear a família de uma menina muito especial, esta menina chama-se Taissa, e eu soube da sua história no blogue Por aqui e por ali:

 

«A Taíssa tem 13 meses e é portadora de trissomia 18 total. Esta trissomia é daquelas doenças que qualquer grávida se alarma em rastreios pré-natais. Segundo os médicos, e as estatísticas, é incompatível com a vida. 80% dos bebés com esta trissomia morrem naturalmente dentro do útero, e dos 20% que chegam a ver a luz do dia, a maioria não vive mais do que um mês. Por isso, é daqueles casos em que a maioria dos médicos aconselham à interrupção da gravidez. Porque é "desnecessário prolongar o sofrimento", entre outras explicações. A Taíssa viu a luz do dia, continuou a ver, e continua a ver. Para a Ema e para o Paulo, os pais dela, têm sido 13 longos meses de batalha. O último ano tem sido largamente passado no hospital, entre muitos momentos de angústia, incerteza, mas de muita fé.»

 

Continua a Ana Rute:

«Tomámos conhecimento da doença da Taíssa mal ela nasceu, por amigos comuns. Temos orado por ela mês após mês e aqui há umas semanas, finalmente conheci esta família (que têm também uma filha de 4 anos, a Tamara). No quarto de hospital, pude testemunhar da alegria que é confiar em Deus, mesmo na maior das incertezas. Testemunhei de pais que ousam pedir a cura da filha, mas que estão dispostos a aceitar o plano que Ele traçou para ela, independentemente do desfecho.»

 

Realmente as coisa têm um tempo para acontecer, e ontem estive a ver o vídeo que a Bruxa Mimi colocou no seu blogue e a ler sobre "Os quarenta dias pela vida", uma iniciativa de louvar, quando comentei lá que além das orações devemos estar mais atentas às nossas amigas, familiares e conhecidas pois certamente que se não tiverem apoio nem quem as ajude no dia-a-dia com os seus filhos vão ver-se tentadas a não continuar com a gravidez... e fazer alguma coisa está ao nosso alcance, por exemplo, aqui e agora:

 

formiguinha.jpg

 

«Na foto em cima, vêem uma boneca que a nossa querida Sara fez para a Taíssa, no hospital. Surgiu a ideia de se fazerem mais bonecas destas para ajudar esta família, que dadas as circunstâncias se encontra a tempo integral a cuidar da filha (que não pode ser deixada sozinha em nenhuma parte do dia ou noite). Na nossa Igreja, várias mãos se estão a juntar para coser, outras tantas para trazer materiais, e outras para etiquetar. Se quiserem fazer parte desta corrente, cujos fundos reverterão para esta família - ou outras que eles conheçam em igual necessidade - sigam os passos abaixo.»

 

É muito simples, enviar um email para: paulopimentanunes@gmail.com com a quantidade de bonecas e o tamanho, depois depositar o valor e mandar a morada e aguardar a chegada da formiguinha a nossa casa!

 

 

Quando a boneca chegar é ir olhando para a ela, para o que ela simboliza e ir dando graças por ainda existirem pessoas de bom coração que doam o seu tempo para ajudar os mais pequeninos!

 

 

4 comentários

Comentar post