Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

História III

...

«São muitas vidas negligenciadas, crianças retiradas de casa porque as deixaram entregues a si próprias, crianças que viviam sem o mínimo de condições de higiene, conforto, segurança, carinho e atenção. Crianças que sem terem culpa acabam por ser arrancadas da única coisa que conhecem ainda que seja uma situação de risco.

 

Estas crianças estiveram em risco pelas mais diversas razões, por terem sido indesejadas, porque as famílias não têm capacidade de cuidar delas, porque não são capazes de lhes proporcionar um ambiente familiar acolhedor que as proteja e defenda.

Tornaram-se assim vítimas continuadas de maus-tratos das mais variadas formas, crianças tristes, desorientadas, desorganizadas, agressivas e defensivas, mas acima de tudo com uma enorme carência de afectos.

 

Muitas, senão todas estas situações partem-me o coração, afinal as crianças não são um número, mas pessoas com sentimentos, com uma história que não pode ser esquecida, mascarada ou perdida com o passar do tempo.

Têm uma “bagagem” emocional sem dúvida, uma vivência de sofrimento e abandono que as marcará para sempre, mas como disse Eduardo de Sá “As crianças abandonadas não são do estado: são património da Humanidade.”

 

E eu sou parte desta humanidade, uma parte ínfima, uma coisinha de nada, mas tinha um sonho e esse sonho era que umas destas meninas fosse minha filha.

 

Seria a minha Menina do Sonho.»

 

A Mãe

1 comentário

Comentar post