Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

História VI


(para seguir a nossa história desde o início seleccione a "tag" história)

 

...

«Passados dez anos, esta menina tinha já uma grande história para contar, muitos episódios distantes de uma vida atribulada de negligência e abandono, apesar disso conservava um olhar esperançoso no futuro e uma energia contagiante.

 

Estávamos no verão de 2007, altura em que combinámos um encontro, agora na nossa casa, onde as meninas que não podiam ir de férias poderiam ter um pouco de animação.

são poucas, mas a verdade é que existem sempre crianças e jovens que, pelos mais variados motivos não podem sair da instituição, alguns desses motivos prendem-se com o facto de terem sido institucionalizadas há pouco tempo, não terem uma família de acolhimento, não existirem condições para que sejam recebidas em casa ou até mesmo aquelas que aguardam que a família as visite e desesperam porque ficaram esquecidas e se sentem abandonadas (o caso da Gui).

 

Foi nesse dia, 31 de Agosto, que voltamos a ver a Gui, não há nenhuma foto que possa ilustrar esse dia, mas ficaram muitas memórias, muitos sons de risos e de gargalhadas…

 

Era um dia típico de Verão, daqueles que se pode dizer que dava para «estrelar ovos ao sol», as meninas já sabiam que era para se divertirem na piscina e vieram equipadas a rigor, nós já sabíamos que eram muitas e providenciámos braçadeiras para que não acontecesse nenhum imprevisto.

 

A água estava morna e o ar estava quente e abafado, não tardou muito para que as primeiras aventureiras se lançassem para dentro de água e molhassem quem apenas queria apanhar um sol e trabalhar para o bronzeado.

 

É isto que se espera de crianças em férias, que gritem, corram, digam disparates e brinquem até cair para o lado.

 

Foi isto que aconteceu, muita brincadeira, muitos mergulhos, jogos, comida tipo piquenique e um convite imprevisto que fez o meu coração saltar de alegria!» ...

 

A Mãe

2 comentários

Comentar post