Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

O café e eu!

Andava para escrever sobre este tema há uns dias, ontem parece que foi o dia do café.

 

Eu gosto de café.

 

Com açúcar.

 

Gosto e pronto.

 

Na altura da minha primeira gravidez eu bebia, antes de descobrir o meu estado de graça cerca de 6 a 8 cafés por dia... é muito eu sei, mas nessa altura levantava-me às cinco da manhã, ia para Lisboa trabalhar e chegava a casa perto das oito da noite, eram longos dias... depois da descoberta às 12 semanas ( pois foi um bocadito tarde) e vendo que a médica ficou espantada com os valores da minha tensão arterial, prometi reduzir para um por dia. Como a tensão continuava a subir fui proibida de beber café e temperar a comida com sal e assim se "regulou" a tensão até às 40 semanas e uns dias!

 

Depois voltei a beber café e voltei a ganhar o gosto por beber o meu café depois do almoço... e ao meio da manhã também, trouxe uma máquina das antigas para a loja e assim poupei imenso dinheiro nos cafés!!!

 

Durante esta quaresma tomei uma decisão um pouco radical, para muitos poderá ser considerada um disparate, mas para mim fez todo o sentido. Faria assim uma das minhas grandes renuncias. Um dos meus grandes sacrifícios, oferecidos com amor foi justamente não beber café durante estes quarenta dias.

 

Foi complicado porque eu gosto mesmo de café, porque sentia falta de o beber, mas no meu coração eu sabia o porquê deste sacrifício, por isso de cada vez que me ofereciam um café e tive de recusar... oferecia-o com toda a dor que isso me causava... é estranho eu sei, mas ajudou-me a crescer pessoalmente!

 

No domingo de Páscoa, ia beber o meu 1º café! E quando chegou a altura... não me apeteceu... no dia seguinte, também não me apeteceu... e assim continuei por uns tempos... voltaram a convidar-me para ir beber um café e eu fui, bebi e soube-me bem, mas parece que não foi a mesma coisa...

 

Quando na consulta percebi que a tensão desta vez está normal e posso beber o meu café, pensei que ia ser muito mais feliz, mas acabei por beber ao todo até agora dois cafés e meio!

 

A vida realmente ensina-nos coisas fantásticas, eu sei que gosto de café, mas descobri que isso não é o mais importante, quem diz o café, diz outras coisas, parece que nos custa muito viver sem isto ou aquilo, depois de nos dedicarmos a mudar a nossa forma de viver vemos finalmente que podemos ser mais livres de cada vez que dependemos menos de algumas coisas que pensávamos indispensáveis...

 

Na verdade, penso mesmo que quanto mais "bagagem" temos na nossa vida, menos livres somos, mais dependemos das "coisas"... acho que nesta quaresma aprendi uma grande lição!

 

Uma lição para a vida toda!

 

 

10 comentários

Comentar post