Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

11.11.16

O choque contínua

Olívia

Pensava eu que as eleições num país grande e distante eram um dos grandes motivos para a preocupação geral, andei a ler isto e aquilo, procurei informações, li testemunhos em blogues católicos americanos e vi que sim, a maioria está satisfeita com os resultados, os que não estão dividem-se em dois grupos: o grupo dos que acenderam a chama do ódio (coisa feia para quem se diz católico) e os que aguardam com esperança que as coisas não sejam assim tão más. Neste último grupo encontro ainda uma onda de ação; nada de muito exagerado, apenas uma ideia: "espalhar a gentileza e bondade por todo o lado - a começar na tua casa".

 

Tão simples e tão bonito. Afinal se eu começar dentro da minha casa, na minha família a ser melhor isso reflete-se no meu trabalho, na escola das minhas filhas, na vida da comunidade. E aos poucos se consegue contagiar o nosso bairro e a nossa aldeia.

 

Gostei muito desta ideia. Muito mesmo. Já não é nova, mas ganha outro impacto quando a maioria das pessoas (eu incluída só estava a ver desgraças a aproximarem-se do mundo).

 

Ora, munida desta forma de agir, acrescentando-lhe a minha citação bíblica favorita (é ver no perfil), desloquei-me a Odivelas para ir com a Lúcia à consulta dos 12 meses e às vacinas. Parte do percurso fiz de transportes públicos e... fiquei chocada! Ninguém, repito ninguém me ajudou com o carrinho. Os que viram ignoraram, os outros nem levantaram os olhos dos seus telemóveis. 

 

A Lúcia finalmente tinha adormecido e eu não podia levá-la ao colo para entrar com o carrinho fechado. Assim tive de segurar nele com a pequena a dormir e colocá-lo no autocarro pela porta de trás, depois tive de o levar para a frente para pagar o bilhete e voltar novamente para trás. O motorista (que vinha 20 minutos atrasado) resolveu tentar encurtar esse tempo fazendo uma condução de acelera, trava, vira e acelera mais e mais... o esforço que fiz para que o carrinho não se virasse valeu-me uma dor nos braços que ainda dura...

 

Sim, o choque continua. 

 

E as pessoas ainda se admiram quando surgem publicidades como esta...

 

 

 

Sim, o choque continua.

Todos os dias.

Em todo o lado.

E não tem nada a ver com o presidente de um país...

 

 

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D