Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

O meu milagre

Para quem não é crente, falar de milagres é um disparate. No entanto já ouvi algumas pessoas que não crêem referir-se a certos acontecimentos que se escutam nas notícias como verdadeiros milagres (ex. alguém encontrado vivo nos escombros ao fim de x dias, ou um bebé que sobreviveu a um acidente...) normalmente para a maioria das pessoas um milagre é uma coisa "em grande", um acontecimento espetacular que nunca ninguém poderia imaginar que fosse acontecer.

 

Sabendo que eu sou uma pessoa bastante simples, que vive segundo padrões de simplicidade, um milagre para mim é por exemplo esta vida que gero há 18 semanas, ou a família que eu e o meu marido formámos, é um dia sereno passado com quem amo, é ver um casal de idade que passeia de mão dada.

 

Num destes serões contei a história do milagre da viúva e do profeta Eliseu, sim aquele do azeite que não acabava enquanto não fossem cheias todas as talhas. (Para ler no II Livro dos Reis, capítulo 4, versículos 1-7)

 

A Maria, ouviu maravilhada esta passagem, a Margarida já a conhecia do Retiro de Maio, no final a Maria exclama entre uma espécie de choro:

 

 - Só eu é que não tenho nenhum milagre!

 

Eu sem pensar respondi que sim, ela já teve o seu milagre, uma coisa pequena aos olhos da maior parte das pessoas, mas uma coisa enorme aos olhos de uma mãe. Recordei-a do que lhe aconteceu há um ano atrás e da forma como tinha já a "sentença lida" afinal o médico com sinceridade disse-nos o que provavelmente iria acontecer a seguir. 

 

Nessa altura começámos a oração do terço em família e pedimos a amigos próximos que não se esquecessem de pedir pela Maria. Na minha oração pedi que o Espírito Santo - Espírito de Sabedoria - iluminasse o médico para que ele conseguisse tratar a Maria.

 

Se no início nas consultas parecia não haver grandes alternativas, com o passar das semanas o médico via que talvez não fosse preciso nada de muito agressivo, e semanas mais tarde afirma que não havia dúvida, estava no caminho certo.

 

Para mim, o milagre não foi apenas a solução para o problema, mas a união que a nossa família demonstrou nesta situação colocando tudo nas mãos de Deus.

 

Depois desta explicação a Maria teve noção do que lhe podia ter acontecido e fartou-se de chorar assustada, mas ao mesmo tempo ficou aliviada...

 

A Margarida também reconheceu que o seu milagre já aconteceu há oito anos, quando recebeu de Deus esta nova família!

 

7 julho 2012 002.JPG

 

 

E eu?

 

Será que consigo ver quantos milagres me acontecem ao longo de toda a minha vida ou passo o tempo à espera de um fenómeno e estou sempre a reclamar de tudo?

 

 

5 comentários

Comentar post