Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!



Sábado, 11.10.14

Ontem, hoje e por toda a eternidade

A pessoa que hoje sou é um misto da menina que fazia bolos de areia e detergente da loiça, da menina que desenhava centenas de vestidos de noiva nas férias de verão, da jovem que fazia piqueniques com os amigos, que ouvia Celine Dion e Metallica, da jovem catequista, da jovem apaixonada, da jovem que sonhava que podia mudar o mundo, da jovem mulher que surpreendeu os professores no 3º ano e casou nas férias do carnaval num lindo dia de chuva, da dona de casa atrapalhada nos primeiros dias de casada, da mulher que se atarefava a fazer a limpeza afincadamente aos sábados de manhã, da mulher que estava sempre pronta para um passeio, da mulher que lutou por uma adopção e que também sofreu nas dores do parto, da mulher que reza em família, que conta histórias à noite, que já leu centenas de livros, que se questiona e que tenta avançar sempre por um caminho melhor.

Se já olhei para trás e vi que errei, sim. Afinal sou humana... mas neste caminho que tem sido a minha vida o mais importante mesmo é aprender com os erros, retomar o que mais importa na vida, deixar de lado as coisas mesquinhas, saber que podemos sempre mudar de rumo, virar e contornar, seguir em frente e parar para pensar.

Na vida de uma família católica o ponto de chegada é sempre o mesmo, no entanto o caminho é longo, por vezes confuso, outras vezes parece camuflado e temos mesmo de escavar para passar, outras vezes ainda parece que estava mesmo ali e nós não o víamos. Se olharmos à nossa volta será que não encontramos cada vez mais famílias sem rumo, em busca de algo, que ainda não apontaram o seu GPS para o verdadeiro sentido da vida?

Será que não vemos famílias a precisar de ajuda "fisica" isto é, bens alimentares, roupas, móveis? Mas será que também não vemos famílias a precisar de ajuda espiritual? Pessoas que deixaram de ter presentes os valores morais? Disse-nos Jesus:

«tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.» Mt 25 35-40

Que Deus me ajude a ver nestas famílias o meu próximo, e não vire as costas a quem precisa da minha ajuda!

DSCF2347.JPG

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Olívia às 06:00


2 comentários

De Marisa Milhano a 15.10.2014 às 09:02

Olivia, que mulher! :)
Deve ser incrível e muito encorajador puder olhar para trás e rever tudo o que já se fez. Tantas facetas, tantas histórias, tantas experiências, tantas memórias!


De Olívia a 15.10.2014 às 09:32

É verdade, mas espero que daqui por uns anos tenha muito mais para recordar, tenho aprendido a viver cada dia como um dia único!
bj

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisa de temas

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031


Frases nossas

«Mais do que um processo judicial ou burocrático adoptar é amar uma criança e torná-la nossa filha»

Fale connosco através de

olivia.adocao@sapo.pt