Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!



Quarta-feira, 14.10.15

Pequeno Apontamentos

Da minha ida a Lisboa (ao médico)

 

- A viagem de ida foi num expresso, bastante cheio por sinal, com imensas pessoas que seguiam viagem para mais uma ida ao IPO. Histórias de luta e de coragem... histórias de sofrimento e de resignação, histórias de entrega e de perda... acima de tudo histórias na primeira pessoa. Como podia eu confortar alguém que me diz "Olhe menina, chegamos a uma idade em que já não vale a pena o sofrimento, desta vez não vou fazer mais nenhum tratamento, tenho 72 anos e já ando nisto há 12..."?

 

- À chegada ao terminal, muitas mulheres estrangeiras a pedir, uma delas disse que não queria dinheiro, bastava alguma coisa para matar a fome... a única coisa que consegui fazer foi abrir a mochila e tirar as bolachas que levo sempre para comer, não tinha mais o que dar... nem o que dizer...

 

- Nas viagens de metro, as pessoas comportam-se como se todos os outros à sua volta fossem invisíveis. Não pedem licença para passar, não se olham nos olhos, não largam os telemóveis ou os livros. "Entram mudas e saem caladas"... nem um sorriso, nem uma palavra...

 

 - Nas viagens de autocarro em pleno espírito "bairrista" o condutor já conhece a maioria das pessoas, fala-se do que será o almoço, da filha que está na escola, do emprego, da operação que nunca mais chega... no final da viagem há sempre um "bom trabalho" e "bom dia"!

 

Observar as pessoas, interagir com elas faz-nos ter a noção de tantas coisas que normalmente não damos conta... ontem vi muita gente só, muita gente aborrecida, cansada... também vi muitas crianças alegres por verem os pais e os avós à saída das aulas!

 

Ouvimos muito falar da crise económica no nosso país, mas a crise social, essa parece-me muito maior... o isolamento físico e psicológico, as más condições no trabalho, famílias afastadas... é urgente dar um passo para combater estas coisas que vão destruindo a vida à minha volta, e isso é um trabalho constante... e não de apenas um dia ou uma hora!

 

 

latas_lanternas_prontas.jpg

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Olívia às 09:45


4 comentários

De Bruxa Mimi a 14.10.2015 às 20:54

Gostei do post, mas estou a comentar por causa da imagem. É uma ideia gira! :-)

De Olívia a 15.10.2015 às 10:36

Eu adoro a ideia das latas e da luz a passar nos buraquinhos... e ao escrever sobre estes pequenos "momentos" de contacto com os outros lembrei-me que talvez eu possa ser assim um pouquinho de luz a furar na vida deles... é uma ideia...

De FEM a 14.10.2015 às 20:56

Olá!
Um texto muito muito verdadeiro e muitíssimo presente.
Crise social. Nem mais.
Um abraço da FEM

De Olívia a 15.10.2015 às 10:37

Nota-se por todo o lado, mas confesso que aqui na "província" se nota menos, ainda há algum convívio, conversas, mas em Lisboa pareceu-me realmente preocupante!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisa de temas

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Frases nossas

«Mais do que um processo judicial ou burocrático adoptar é amar uma criança e torná-la nossa filha»

Fale connosco através de

olivia.adocao@sapo.pt