Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Quando tenho vontade de desistir

Estava a pensar em como é difícil por vezes encontrar tempo, inspiração e disposição para escrever no blogue (e eu até nem escrevo textos longos, estruturados e cheios de observações fora do normal...)!

 

Quando comecei, tinha como propósito escrever um texto por dia, era uma forma de "tirar" um bocado do dia só para mim, fazer desse bocado o meu tempo pessoal, escrever nem que fosse uma pequena ideia dava-me muito gosto e como tal esta era uma "tarefa" simples de executar.

 

Com o tempo, o cansaço e cada vez mais tarefas dou comigo muitas vezes a pensar que estou a escrever apenas para desabafar, ou para me "queixar" da vida... e não como forma de me sentir bem comigo mesma...

 

Se pensei em desistir de escrever? Sim. Dias houve em que provavelmente isso me passou pela ideia, são dias em que recebo mensagens "azedas", comentários estranhos, alturas em que parece que mais valia ter estado a dormir em vez de ter escrito ou partilhado alguma coisa...

 

... mas depois vejo um comentário de alguém que conheço e que me dá "força", outras vezes é o comentário de alguém que eu nunca vi, outras vezes de alguém que eu conheço e que eu nem sabia que lê o blogue! São palavras e frases que embora possam parecer pequenas me deixam a pensar que realmente hoje em dia alguém lê o que escrevo porque gosta e não por mero acaso!

 

Recordo sempre com muito carinho todas as mensagens que me enviaram nos comentários, por telemóvel, email ou através de outros blogues a propósito do atribulado nascimento da Lúcia, mensagens que me fizeram chorar de gratidão, que me mostraram que não importa onde estamos, qual a religião que professamos ou o género de família que somos. São momentos carregados de emoção e que nunca serei capaz de esquecer!

 

Aliás de vez em quando ainda recebo mensagens de pessoas que apenas estiveram comigo uma ou outra vez, de pessoas que nunca me viram, de pessoas que vivem longe, mas que querem partilhar comigo uma ideia, um desabafo ou dar-me alguma dica...

 

Como poderia deixar de vir aqui escrever se existe alguém capaz de me escrever a dizer "obrigado por ter o blogue", "obrigada pelo tempo que dedica ao blogue"? 

 

É por isso que não importa se escrevo de "véspera" quando a casa está em silêncio ou na loja de manhã com a Lúcia ao colo, não importa se escrevo um pouco antes de levar a Maria à escola ou antes de ir buscar a Margarida... não importa se escrevo quando a página das finanças vai a baixo ou quando estou cansada e cheia de sono... não importa se dou muitos erros, ou se os textos fazem pouco sentido, importa que ao escrever me sinto feliz, que em cada registo deixo um pouco de mim e da minha família... um pouco da história que vamos vivendo em cada dia!

 

DSCF6885.JPG

 

 

Também não se acende uma candeia para a colocar debaixo do alqueire, mas sim em cima do velador, e assim alumia a todos os que estão em casa. Do mesmo modo, brilhe a vossa luz diante dos homens de modo que, vendo as vossas boas obras, glorifiquem o vosso Pai que está nos Céus." Mt 5 14-16

 

 

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2