Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!



Quarta-feira, 04.02.15

Rumar contra a maré

Todos os dias tento rumar contra a maré, enquanto estamos dentro de casa tudo parece mais simples, mas sempre que colocamos os pés do lado de fora... tudo se complica! Ando há tempos para escrever sobre isto, mas não sei bem como... pois sei que a maioria das pessoas vai achar esta conversa uma verdadeira maluquice, mesmo correndo o risco de que isso aconteça vou terminar o texto...

 

Esta semana deparei-me com uns textos bem interessantes no blogue "Por Aqui e por Ali", que sigo com bastante atenção, mesmo sendo escrito por pessoas de outra confissão que não a minha, sei que vivem de forma semelhante à nossa aqui em casa. A mãe desta família, que se chama Ana Rute Cavaco tem também um outro blogue, que se chama "Alegria, Graça e Gratidão", também por lá passo muitas vezes... há sempre tanto para aprendermos uns com os outros!

 

Mas voltando ao tema do post de hoje, na maior parte dos dias dá-me a sensação que ando a rumar contra a maré, tentando educar as minhas filhas de acordo com os valores defendidos na nossa família, depois elas chegam a casa e "os outros foram", "os outros fizeram", "os outros têm", "os outros vêem"... uma infinidade de queixas, que eu tenho de ir explicando com calma o porquê de nós não sermos como os outros... e são textos como este e este, ou textos como este, que me dão um pouco de ânimo e de esperança... 

 

Afinal de que precisam as minhas filhas para crescerem? De televisão, telemóvel e computador? De verem programas com linguagem completamente parola? De estarem isoladas no quarto "a falar" no chat com pessoas que nem são quem dizem ser? 

 

 

Sobrevivi à febre dos One Direction, hei-de sobreviver à da Violeta... sobrevivi ao facto de na turma da Margarida ela ser a única sem telemóvel e sem estar no facebook até de madrugada e da Maria não ver desenhos animados desde que se levanta até à hora de deitar... tenho sobrevivido à geração que vai três a quatro dias por semana comer pizzas e hambúrgueres enquanto deixam a comida da cantina nos tabuleiros, apenas deixando que a Margarida fosse uma única vez com duas amigas comer uma tosta de galinha ali ao lado... já para não falar de ajudar em casa, que tem sido um hábito e que realmente sabe bem quando todos ajudam nas tarefas, mas ao que parece apenas alguns dos colegas delas o fazem... confesso que muitas vezes desanimo e tenho vontade de me deixar ir na corrente, mas tenho tentado manter-me firme aos meus princípios e não ceder às tentações...

 

Se é fácil? Pois não é... não... quem também está a passar pelo mesmo sabe que não é! No meio de tanta "oferta" tento encontrar um equilíbrio saudável, também não sou assim tão má, a Maria por exemplo tem uma camisola da Violeta (ela a bem dizer não sabe quem é a dita cuja, mas como todos gostam ela também gosta) que lhe deu a minha mãe, e a Margarida tem uns cds da tal banda juvenil que lhe ofereceu a minha irmã, também vêm televisão, mesmo não sendo tudo o que os outros vêem, tomara que um dia cresçam, que saibam fazer as suas escolhas conscientemente, que nunca lhes falte a determinação para defender aquilo em que acreditam, mesmo que com isso sejam "rotuladas" de diferentes, afinal todos nós, pais, queremos que os nossos filhos cresçam não só em estatura, mas também em sabedoria e em graça!

 

make a difference.png

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Olívia às 06:00


9 comentários

De mãe de coração a 04.02.2015 às 11:33

Ai Olívia, como te entendo!!! Cá em casa é a mesma coisa e pior é que às vezes o pai quer ceder e depois a mãe é que tem de ser a má e explicar aos DOIS porque se disse que NÃO!
Nós "demos" um computador ao meu filho pouco depois de ter chegado a casa, agora, trata-se de um computador velho que nós não usávamos (não fomos gastar balúrdios a oferecer o topo de gama como costumamos ver), foi a ferramenta que pudemos usar para lhe dar segurança para poder estar no quarto dele (foi recomendação de um profissional, - usar uma actividade que pudesse fazer sozinho e que gostasse - pois ele tinha medo de estar no quarto sozinho, ainda que eu estivesse no quarto ao lado, durante o dia). Ainda assim, tem uma serie de regras para o poder usar e sempre que falta fica sem ele por algum tempo consoante a falta que fez! Mas, chegados ao Natal, já o querido papá andava de volta de tablets para oferecer ao menino porque "ele queria" e "os outros também têm"... e lá andou a chata a explicar que o nosso filho não vai receber algo só porque quer, ou porque os outros têm, essa decisão foi tomada pelos dois muito antes da criança chegar!!!!
É uma luta diária sim!!! 

De Olívia a 04.02.2015 às 15:23

A ver se temos coragem para não desistirmos de educar os nossos filhos!

De mãe de coração a 04.02.2015 às 15:47

é mesmo!!! Coragem!!!
Quando me sentir vacilar venho aqui para me dares um "puxão de orelhas" de volta à realidade 

De Família Lopes Palma a 04.02.2015 às 13:33

Concordamos perfeitamente e é bom saber que temos mais famílias no mesmo barco apesar de muitas vezes não sentirmos isso...


Obrigado pelas partilhas que aqui faz e pela forma que as passa


Paz e bem

De Olívia a 04.02.2015 às 15:24

Obrigada pelo vosso comentário, de facto há que persistir na luta pelos valores em que acreditamos, e com "companhia" é sempre mais motivador!

De Isabel Silva a 04.02.2015 às 15:00

Olívia não estás sozinha!
Cá em casa, a cena é praticamente a mesma!
As Marias não têm tudo que pedem e elas nem são pedinchonas. Claro que também tentamos manter o equilíbrio, para elas não serem rotuladas de diferentes!  Faz-me confusão ver miúdos com produtos "da moda" de topo de gama, são telemóveis, tablets, os ténis xpto!
Vou ser muito directa, a sensação que tenho quando vejo situações destas, é de que os pais estão a tentar compensar os miúdos de algum tipo de carência, nomeadamente falta de atenção, de carinho!
Aqui em casa tentamos incutir-lhe a ideia de que a felicidade não está nos bens materiais, e sim no "conteúdo" do nosso coração!
Pensemos que não somos melhores nem piores pais por termos estes princípios! Apenas queremos o melhor para os nossos filhos, e para nós, é desta forma!
bjs e desculpa o testamento

De Olívia a 04.02.2015 às 15:25

É cansativo viver dia após dia nesta luta, mas temos de ver este esforço como um investimento em amor na educação dos nossos filhos!

De mãe de coração a 04.02.2015 às 15:50

subscrevo Isabel, às vezes é mesmo a compensação, ou como me disse uma vez uma pessoa conhecida: "Pelo menos assim está  entretida e não me incomoda!"...

De Alguém, algures a 04.02.2015 às 17:45

Bem haja pelo testemunho.:)

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisa de temas

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2015

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728


Frases nossas

«Mais do que um processo judicial ou burocrático adoptar é amar uma criança e torná-la nossa filha»

Fale connosco através de

olivia.adocao@sapo.pt