Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!


Terça-feira, 08.08.17

Algures por aí

existem países onde já começaram as aulas. Nesses sítios anda tudo muito animado porque já compraram os materiais, já têm as roupas (e/ou uniformes) compradas e todas essas coisas... em alguns destes países as crianças levam almoço de casa, esse almoço é constituído por sandes, pacotes de leite, alguma fruta ou cenoura em palitos e pouco mais. Ou seja, aquilo que por aqui costumo mandar para o lanche é dado às crianças ao almoço, lanches? Isso não existe, existem snacks que são por exemplo barras de cereais e frutas secas. Raramente estas crianças comem sopa e quando a comem vem de uma lata. Sim, eu pensava que isso era coisa de filmes antigos, mas não. Hoje em dia as pessoas - em certos locais - ainda comem sopa de lata. Percebi também que os pequenos almoços são um bocado mais nutritivos que os nossos pois comem ovos entre outras coisas, e se isto é tudo normal, também é normal haver jantares com comidas bem condimentadas...

 

Eu tenho feito um enorme esforço para não desperdiçar comida, para não desperdiçar dinheiro em coisas que não comemos e em aproveitar bem o que temos fresco como legumes e frutas. Tenho um orçamento mensal para supermercado e tento cumpri-lo. Se tivesse mais tempo dedicar-me-ia a fazer mais coisas em casa, por agora voltámos às pizzas caseiras. A nossa sopa, na maior parte das vezes vem da minha mãe que faz sempre muita e assim não se estraga, mas é feita com coisas da horta, não costumamos comer sopas de pacote... em lata só temos atum, salsichas, milho e pouco mais.

 

Este mês vou começar a ensinar à Margarida como fazemos a gestão da comida lá em casa, já me pareceu que ela gosta deste tipo de coisas e assim vai aprendendo... manter uma família alimentada não é bem a mesma coisa de alimentar bem uma família. Seria mais barato talvez misturar o conteúdo de pacotes com água e ter refeições prontas, mas a mim não me convence... quando penso no que vou fazer para os menus do mês fico sempre angustiada, sem ideias e farta de fazer sempre o mesmo, se decido não seguir o menu acontece sempre o mesmo: muitas vezes comemos frango assado de compra, gasto dinheiro a mais e nem por isso comemos melhor. 

 

Não pensem que somos tão pobres que não temos dinheiro para comida, não é nada disso, é uma questão de comprar o que é melhor para nós, para as nossas necessidades sem desperdiçar dinheiro e comida, é uma questão de aproveitar o que temos, de usar a imaginação, de procurar, de não me acomodar ao mais rápido e que dá menos trabalho... deve ser uma questão de mentalidade, só pode!

 

Como é que dão sandes todos os dias ao almoço a crianças pequenas? E ainda dizem mal do nosso país!!!!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 02.08.17

Meio ano já passou

E com isto chegamos a agosto.

O mês terrível.

Mas não muito.

Um bocadinho.

 

Era suposto colocar aqui uma imagem a dizer #oláagosto ou #qualquercoisagira do género #hellosummer, era suposto fazer o balanço do mês de julho, era suposto estar a fazer as malas para irmos de férias, era suposto ir encomendar os livros escolares para ficar descansada, era suposto... ai que vida!

 

Acontece que, continuamos a nossa vida de sempre. E com isto quero dizer que está na altura de fazer o menu do mês, a lista de compras do supermercado, as contas aos gastos no mês passado -se calhar passo esta - terminar os Ivas (só me falta um), enviar os Ivas, arrumar a papelada, lavar os cortinados da casa, dar um avanço à organização das divisões que ainda me faltam, tomar uns banhos na piscina (se não arrefecer entretanto)... tenho o livro secreto para ler e pela primeira vez não estou a conseguir entusiasmo para lhe pegar...

 

É uma vida muito agitada a minha... não haja dúvidas!!!

 

Entretanto mostro o teste que fizemos à nossa mobília...

 

Antes:

IMG_20170723_184335.jpg

 

Depois:

IMG_20170724_073131_612 (1).jpg

 

 Também já tenho a zona de lavar e passar mais ou menos organizada

IMG_20170731_223057.jpg

 

Os brinquedos estão agora todos no quarto

IMG_20170716_151028_675.jpg

 

Ainda tenho muito com que me entreter...

 

A maior parte dos esboços e desenhos já foi para o ecoponto, mas alguns vou guardar, foram feitos há vinte anos na escola...

 

 

 

 

 

 

#queposttãoesquisito

#vidadegentenormal

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terça-feira, 25.07.17

Mudar cá dentro #4

"Era uma vez uma dona de casa que queria ser mais, que queria ser aquilo que via em blogues e que no fundo, no fundo bem sabia que nunca iria acontecer, mas mesmo assim, decidiu tentar. Tentou ter a casa arrumada, ter uma despensa cheia de coisas boas para que nada faltasse, tentou programar menus e aproveitar as promoções. Tudo em grande! Com direito a cupões de desconto. Em poucos meses o stock duplicou, triplicou... e aquela sensação de que se tem tudo controlado fez com que se sentisse de facto uma excelente dona de casa.

 

MAS

 

Um dia, reparou que existiam umas pequenas borboletas castanhas na despensa, eram pequeninas, mal se viam. Passou um tempo e afinal eram dezenas delas, e já bem grandes... então nesse dia, resolveu ir limpar a despensa, fazer a escolha das coisas mais antigas - estão a ver onde é que esta história vai acabar, certo? - pois, a descoberta foi pavorosa. Praticamente todo o stock de farinha estava atacado, assim como muitas outras coisas, esta dona de casa passou de supercontrolada a completamente descontrolada... foi preciso terapia de choque. Foi preciso retirar tudo da despensa, limpar, lavar as paredes, pintar e recomeçar."

 

Desde este fatídico período nunca mais guardei nada de mercearias naquela despensa, reorganizei os móveis da cozinha e em duas portas guardei o que nos ia fazendo falta. Dois pacotes de cada coisa e ia repondo consoante ia gastando. Claro que este método obriga a andar sempre nas compras e, para quem detesta o processo... torna-se uma canseira! Hoje me dia a coisa está mais organizada porque já consigo "prever" mais ou menos as quantidades de coisas que gastamos por mês - agora nem tanto, porque as miúdas estão de férias e não há nada melhor do que elas almoçarem na cantina da escola! - mas tento sempre ter aquilo que considero suficiente e não ter coisas a mais.

 

Então e a tal despensa? Ah pois, essa zona tenebrosa da casa serviu essencialmente para colocar pacotes de leite, guardanapos, papel absorvente, tralha, roupa para passar a ferro e tralha. Já escrevi tralha? No fim de semana passado ganhei coragem - que bem preciso - e tirei tudo de lá, organizei as coisas, e reparei que 50% das coisas que lá estavam eram.... roupas para escolher e para passar a ferro. No sábado adiantei alguma roupa, mas no domingo à noite fiz uma maratona de três horas, passei quase tudo, fiquei exausta. Na segunda passei o resto, e pela primeira vez neste ano tenho a roupa em dia!

 

Estou bastante satisfeita comigo. Aliás, só o facto de poder olhar para a despensa e sorrir já é recompensa suficiente, mas descobri ao longo deste processo que sou capaz. Eu sou capaz de manter a casa em ordem porque isso me faz sentir bem. Eu sou capaz de manter algum equilíbrio na gestão doméstica, não por obrigação, mas por amor.

 

Logo mais à noitinha já mostro como ficou a despensa (esqueci-me de tirar uma foto), só não mostro o "antes" porque me envergonho bastante daquilo!

 

IMG_20170725_211149.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 17.07.17

Mudar cá dentro

Durante muito tempo convenci-me de que precisava das minhas coisas, não para ser feliz, mas para viver estavelmente. Não só gostava de as ter como gostava de as ver. Molduras, estatuetas, caixas, potes, livros... e por aí fora. Sentir que tinha as coisas ali "à mão" dava-me aquela falsa sensação de controlo. Falsa, sim. No fundo sempre tive a noção de que não importa a quantidade de coisas que se tem, importa muito mais quem temos connosco.

 

Mesmo assim, por diversas situações que vivi deixei de ter controlo nas coisas que guardava e nas que não me faziam falta, e durante muitas vezes parti numa aventura de organizar a casa, mas comecei pelo fácil: umas etiquetas bonitas nuns frascos e esse género de coisas. Pouco tempo depois desistia porque aquilo da organização era para gente pindérica e que não tinha mais nada para fazer.

 

Quanto mais coisas guardava e tinha em casa, menos vontade tinha de as arrumar, isto porque não estou o dia inteiro em casa, porque somos muitos a desarrumar, porque podia ser preciso e assim já estava ali à vista ou ainda porque era preciso mudar isto ou aquilo e só depois se pode arrumar melhor... e assim uma pessoa começa a inventar desculpas (ao género daquelas que inventamos quando não queremos reconhecer que estamos a engordar e nada fazemos para contrariar) é um estado quase depressivo no que à lida da casa diz respeito, adia-se, finge-se que não se vê... habitua-se a ver (afinal há piores)... e sempre a piorar...

 

Um dia, ouvi uma blogger no seu canal do youtube a dizer uma coisa que me fez abrir os olhos:

 

Valoriza a casa que tens, como está agora, não como querias que fosse. Cuida dela, mima-a, porque a tua casa pode não ser tão bonita como as do Pinterest, pode não ter aqueles acesórios todos chiques, mas é a tua casa, faz dela um lar! Pior do que uma casa humilde e antiga é uma casa suja e desarrumada"

 

Toma lá! Sinceridade da mais pura! De que estava eu à espera para mudar? A minha casa nunca será perfeita, mas pode ser funcional e simples. É neste ponto que me encontro. Começar pelo mais difícil: tirar tudo dos armários e fazer "montes" de coisas semelhantes (roupas, brinquedos...), depois é escolher e tirar de casa - tirar mesmo - o que não nos serve.

 

Dá trabalho. Cansa. É desesperante. Muitas vezes frustrante. Não se consegue fazer tudo num dia. Mas, com força de vontade, dá para começar num sítio e ir avançando. Eu comecei pelas áreas piores: o roupeiro do meu quarto, a bancada da cozinha, os roupeiros da Lúcia e da Maria, juntar todos os brinquedos no quarto, ... quem quer ir vendo é clicar no Instagram e ir dando uma vista de olhos.

 

Neste momento não há volta atrás. Tenho ocupado cada pedaço do meu tempo para fazer da minha casa um lar, para ter gosto em acordar de manhã e ver uma casa limpa e organizada. Se é fácil, não é. Mas não vou desistir.

 

--- ^^^^^---

 

Podem ouvir aqui este belo podcast em inglês... para quem é como eu e quer mesmo mudar. (Dá para ouvir enquanto se passa a ferro, por exemplo)

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Olívia às 11:20

Sábado, 08.07.17

Tarefas domésticas

AVISO: »»---- Post não recomendado a feministas pessoas sensíveis----««

 

Cada família tem uma rotina própria no que a tarefas domésticas diz respeito. Se há ou não divisão ou se há tabela rotativa de tarefas, esse género de coisas. Aumentando a família, aumenta o trabalho, aumenta a quantidade de roupa, de loiça, de compras no supermercado, as paredes aparecem misteriosamente riscadas, cortinados cortados ou rasgados e muito, muito lixo para gerir!

 

Sair de casa dos pais, além de se poder ter o próprio espaço, implica gerir uma casa, que por sua vez inclui - além de escolher toalhas a combinar com os pratos e copos para várias ocasiões - a limpeza e a manutenção do espaço... e toda a gente que já saiu de casa dos pais sabe... dá muito trabalho!

 

Na nossa casa sou eu quem cuido da limpeza, da roupa e da comida. Juntamente com a minha descendência -as mais velhas - esforçamo-nos por manter o nível básico de limpeza e arrumação da casa, por fazer a comida e por ter roupa lavada e passada nos roupeiros. Nunca tivemos empregada doméstica e não está nos nossos planos vir a ter. Em alturas criticas a minha mãe deu-nos sempre uma grande ajuda, neste momento prefiro que ela fique com a Lúcia e dedico-me mais à casa.

 

Nestes mais de catorze anos de "gestora da casa" já falhei muitas vezes e em muitas coisas. Alturas houve em que a casa estava sempre muito bem cuidada, depois aquela época terrível em que deixei de querer saber e ainda a época em que quase-quase consegui ter a casa minimamente em ordem... depois chegou a Lúcia e novamente as coisas começaram a "andar", quanto mais deixamos "para depois", menos fazemos, porque o depois demora muito a chegar. Quero com isto dizer que existiram fases na minha vida em que não tive nem tempo, nem coragem para cuidar da casa como deveria.

 

Sendo que é suposto sentirmo-nos bem em casa, sabendo que não ser a fada do lar esperada não é um defeito, mas uma realidade resolvi recomeçar. Não do zero, porque é impossível retirar tudo de casa e começar de novo, mas do ponto onde estamos.

 

  1. Eu quero que a minha casa seja um local simples, limpo, arrumado e organizado
  2. não tenho tempo para me dedicar a "limpezas de verão" e
  3. temos muita tralha em casa

 

Desta vez, mudei de atitude, se antes considerava que era um sacrifício cuidar da casa, ter mil e uma outra coisas para gerir ao mesmo tempo; passei a considerar o tempo que dedico à casa um tempo de doação, de amor e um tempo meu. Posso ter uma casa à minha imagem, posso colocar tudo o que sou nestas pequenas tarefas aborrecidas, posso oferecer à minha família uma casa cuidada.

 

Isto já vai longo, mas como o blogue é uma espécie de diário, vou continuar...

 

Com a decisão tomada só precisava de força e coragem. Porque a casa estava uma verdadeira confusão (pena ter tão poucas fotografias do "antes" e nenhuma dos sacos de lixo que já retirei... Assim pensei em recorrer à minha "dose de vitaminas" para ganhar mais energia, comecei pouco a pouco, uma hora por dia, as tardes de sábado, as manhãs de domingo... e vejo o quanto já consegui fazer, mais do que "organizar" vejo que esta força e coragem finalmente chegaram, sem sequer ter ido à farmácia! Quantas graças dou em cada dia por esta mudança! Quantas ainda tenho de dar!

 

Não tenho uma data para concluir esta tarefa, mas sei que o farei nos próximos meses.

 

Então e o teu marido, perguntam vocês? Ah... o meu marido tem sido uma grande ajuda, remodelou o nosso quarto o que me obrigou a retirar tudo de lá, colocou chão no roupeiro o que me obrigou a tirar tudo de lá, pintou toda a parte de cima da casa (escritório - sala - espaço de biblioteca) o que... sim, me obrigou a tirar muita, muita coisa de lá!!!

 

É o meu marido que mantém as coisas em funcionamento, é ele que repara, que concerta, que aparafusa e fura, que tem grandes ideias para mudar a casa e ajuda na sua concretização... é ele que incentiva a ideia de destralhar, tendo já feito grandes progressos nas suas "zonas de trabalho", sim, o meu marido não aspira, nem faz comida, não lava loiça, nem passa a ferro, mas tem grandes responsabilidades na manutenção da casa e do quintal... dos carros e das ferramentas das obras... e dos mimos às suas quatros mulheres da casa!

 

Ele é o pilar, eu sou a trave e é assim que a nossa casa, o nosso lar, a nossa família se vai mantendo erguida!

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 05.07.17

As férias e a exploração de mão de obra infanto-juvenil*

Este ano estou muito confiante. Acho que os quatro dias fora me deram outra perspectiva das coisas... enfim, estou a tentar. Então e o que é que mudou nestas férias? Muita coisa. 

 

A grande mudança é que decidimos dar uma oportunidade às nossas filhas mais velhas para mostrarem que são responsáveis e que podemos confiar nelas para ficarem em casa uma parte do dia. A nossa aldeia é pequena, mas sempre me senti com receio de lá deixá-las sozinhas... este ano (e porque investimos num telefone fixo para casa) estou bem mais tranquila, vou ligando, elas ligam quando precisam e as coisas têm corrido bem! 

 

Durante as horas em que ficam em casa (não ficam todo o dia porque vão para os avós um bocado) ficam com a lista de afazeres e com liberdade para verem desenhos animados durante um bocado, o curioso é que - talvez por não estarem habituadas - cansam-se logo e acabam por desligar a televisão... ajudam nas arrumações, e provavelmente embirram uma com a outra!

 

O costume entre irmãos, portanto.

 

 Até à data esta opção está a ter bons resultados, as nossas filhas estão entretidas nas suas coisas, estão em casa à vontade (a loja é pequena) e ainda ajudam nas tarefas de casa.

 

Coisas que fazem parte das listas diárias afixadas no figorífico pela manhã:

  • estender a roupa (deixo tirada da máquina, dobrada num cesto)
  • colocar a loiça na máquina/arrumar a loiça da máquina
  • varrer a cozinha
  • despejar o lixo
  • lavar caixotes e colocar sacos novos
  • apanhar a roupa seca
  • dobrar o que não se passa a ferro

 

 

 

 

---

* esta palavra nem deve existir...

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 03.07.17

14 anos de amor e de tralha

Por mais voltas que eu queira dar ao assunto volto sempre ao mesmo ponto: temos tralha demais em casa.

 

No último ano mudei radicalmente de pensamento, deixei de querer guardar todas as recordações e coisas com “memórias” para passar a ter uma casa mais “arejada”, mais livre de coisas por todo o lado.

 

Mas, há sempre este “mas”, não me parece que as pessoas mudem do dia para a noite e não me parece que se consiga fazer esta mudança em pouco tempo (devia ter sido em 30 dias).

 

Estamos no segundo semestre e devo confessar que ainda me falta chegar a muitos cantos para fazer a derradeira escolha.

 

E, se num dia estou altamente inspirada e faço montes de projetos, no dia seguinte estou sem vontade de limpar e arrumar. Posto isto, resolvi mudar de tática:

 

  • Devagar se vai ao longe

De agora em diante vou concentrar-me em pequenas tarefas, uma de cada vez. Se “destralhar o quarto” me parece um absurdo e me recorda que devo precisar de semanas a fazer tudo, “destralhar as mesas-de-cabeceira” já me parece uma tarefa menos dolorosa.

 

  • Aproveitar o momento

É preciso aproveitar as alturas em que estou muito motivada, porque uma hora cheia de motivação rende-me mais do que um dia inteiro desmotivada. O conceito “power hour” veio dar-me um grande incentivo nestas coisas.

 

  • Grão a grão…

Bem sei que organizar uma casa leva tempo, e é preciso tempo para que todos comecem a colaborar nas pequenas alterações, a ponta da mesa tem sempre coisas em cima, os papéis acumulam na entrada, os brinquedos ganham asas e voam por todo o lado… mas se for menos exigente e mais persistente acabarei por ver resultados… eventualmente

 

  • Cada macaco no seu galho

Tudo numa casa tem um sítio para ser guardado. Se não está a ser usado é bom que volte para lá o quanto antes, ter um cesto ou caixa de tamanho médio é uma grande ajuda na recolha das coisas espalhadas e no encaminhamento para o seu poiso. Quando muito arquivamos o que sobra no “arquivo central do estado” (aka lixo)...

 

Quem muda de casa com frequência provavelmente nõ junta tantas coisas... porque nas mudanças as pessoas escolhem sempre aquilo que vale a pena levar e o que já não faz falta. Nós nunca mudámos de casa, por isso vamos guardando mais isto e mais aquilo porque "pode fazer falta". Passam os anos e as coisas ficam. Tenho feito limpezas e arrumações, mas deixo sempre as minhas tralhas de estimação bem guardadas, quer dizer deixava. Agora tudo o que não me faz falta, tudo o que não uso há pelo menos um ano, está de saída!

 

Na cozinha já se nota esta pequena revolução... na sala, nos quartos também! Trabalhámos bastante neste fim de semana! Até tivemos tempo para começar alguns projetos de fotografia!!!

 

 

 

IMG_20170702_161739_064.jpg

 

IMG_20170702_140135_349.jpg

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sábado, 24.06.17

Power hour

O conceito foi desenvolvido por uma mãe americana que optou por ficar em casa com os filhos em vez de trabalhar fora. Tal como se pode imaginar, estar em casa não significa que se tenha sempre tudo muito limpo e arrumado, pois todos sabemos como fica a nossa casa depois de um fim de semana com os nossos filhos a brincarem com todos os brinquedos e mais algumas coisas que entretanto encontram por ali!

 

A power hour, é um desafio. Como funciona?

 

  1. Fazer uma lista de tarefas a fazer numa hora
  2. Desligar todas as distrações: campainha, TV, Internet, etc etc
  3. Escolher uma playlist com as músicas que mais nos ajudem a ganhar energia
  4. marcar 1 hora no temporizador (telemóvel, ou cronómetro)
  5. Seguir a lista, sem parar, fazendo o máximo que conseguirmos durante essa hora.

 

Podemos usar esta técnica por exemplo para:

  • organizar uma única divisão (escritório, cozinha)
  • Recolher e arrumar tudo o que esteja fora do sítio em toda a casa
  • escolher (lixo, guardar, dar) brinquedos, roupas...

 

Hoje farei a minha primeira Power hour para dar uma geral na casa!

 

Depois conto como foi!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quinta-feira, 23.03.17

Desafio limpeza em 30 dias #2

Estamos praticamente no final do prazo para terminar as grandes limpezas. E o que era esperado não aconteceu. Mais uma vez fui demasiado exigente comigo mesma. Tentei copiar esta ideia de traçar uma meta e cumpri-la esquecendo-me do fator "imprevisto", esquecendo-me de que trabalho fora de casa, de que tenho obrigações profissionais cujos prazos são bem mais importantes e acima de tudo esquecendo-me de que tenho família.

 

Durante a semana o tempo não sobra, ao fim de semana preciso de fazer as tarefas básicas de quem não tem empregada doméstica e preciso de ser mãe e esposa. Já adiantei bastante na parte da zona de brincar e dos livros. Estão agora bem mais organizados por idades e tipos, os brinquedos também foram arrumados deforma a estarem acessíveis... mas estamos naquela fase em que a Lúcia pura e simplesmente pega em tudo e espalha pelo chão, gosta de brincar, entretém-se, mas não sabe arrumar - sim, eu sei, 16 meses é pouco - e ver sempre tantos brinquedos pelo chão é daquelas coisas que eu já não me lembrava!

 

A parte do "escritório" também está muito melhor, falta ainda escolher e arquivar muita coisa, mas já tenho espaço para trabalhar. Além de que resolvi aproveitar a mesa pequena da cozinha que já não usamos como mesa de trabalho para fazermos trabalhos manuais sem estarmos sempre com pressa em arrumar tudo na hora das refeições como acontecia quando usávamos a mesa onde comemos.

 

Nos quartos só falta mesmo ver os roupeiros. Vou aproveitar quando estiver o tempo melhor e precisar de escolher umas roupas mais "primaveris" para retirar tudo e só arrumar o que nos fizer mesmo falta. As roupas da Lúcia que já não servem estou a dá-las todas a uma prima que vai ter uma menina, sacos e sacos já foram despachados! No meu quarto coloquei um móvel com os meus livros, reorganizei as gavetas da cómoda e das mesinhas de cabeceira. 

 

Tenho ainda os posters para colocar nas paredes e a montagem que vou fazer com as fotografias que tirei das molduras que andavam espalhadas pela casa, assim, aproveitando os meus quadros vou fazer várias montagens por temas: família, festas, acontecimentos marcantes, passeios e expor nas paredes. Muito mais fácil de limpar!

 

A cozinha foi alvo de uma grande escolha no ano passado, por isso apenas a despensa está uma tragédia... mas lá chegarei. 

 

Não vou cumprir os 30 dias, está visto. Mas, mais importante do que as arrumações e as limpezas, escolhi aproveitar melhor o tempo em família, logo escreverei sobre isso!

 

Há sempre uma grande lição de humildade a retirar do nosso fracasso. Reconhecer a nossa humanidade. As nossas limitações. Tentar. Cair. Levantar. Voltar a tentar.

 

Viver também é isto.

É saber que sou livre:

Para escolher...

Para avançar e para parar...

Para sorrir e para chorar...

Para cantar ou para calar...

Para ter ou para ser...

Para ir ou para ficar...

Para sobreviver ou para viver...

 

 

IMG_20170307_075256.jpg

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 08.03.17

Desafio limpeza em 30 dias #1

Dei início a este desafio e vou cumpri-lo custe o que custar, neste momento já nem me importo tanto com as coisas que já mandei fora, mas com o tempo que se demora na "escolha". Catorze anos a guardar coisas é muito tempo.

 

Comecei então pela entrada da casa tornando o móvel da entrada menos decorativo e mais útil. Tenho reparado que não vale a pena "esconder" as coisas para para que pareçam arrumadas, é importante saber onde guardámos isto ou aquilo e não andar a revolver tudo!

 

Uma coisa que decidi abolir da casa foram as imensas molduras, ocupam muito espaço, ganham muito pó. A solução que encontrei vamos copiá-la descaradamente da casa de uns amigos. Depois mostro.

 

Antes & Depois:

entrada.jpg

 

 

O que foi feito:

  1. Tirar tudo do armário, mandar fora malas estragadas, papeis e sacos 
  2. Encontrar formas de combater aquela praga que se chama papeis e carteiras, chaves e tudo mais depositado pelas mesas colocando uma caixa tipo "despeja-bolsos", uma caixa para o correio que chega, outra para colocar as coisas importantes para levar no dia seguinte e que não estão nas malas e mochilas
  3. Fazer um kit emergência para quando falta a luz com lanterna, pilhas extra, velas e fósforos, um isqueiro e uma tesoura, lenços de papel
  4. Fazer um quadro com as tarefas para cada um de nós - semanalmente e para as coisas da escola, etc (em execução)
  5. Ter uma lista de telefone manuscrita, um bloco e canetas ou lápis, um carregador de telemóvel
  6. Ter uma caixa/frasco para os trocos (pão) e o pote dos talões de supermercado/compras para somar ao fim do mês
  7. Temos ainda a arca do tesouro com os cartões e a água benta
  8. Onde guardávamos malas e mais umas coisas tem agora: chapéus, gorros, luvas para facilitar as saídas de casa, caixas com objetos sazonais e um saco com mochilas
  9. Finalmente "remodelei" o chaveiro

IMG_20170304_180743.jpg

 

 O quadro de tarefas e compromissos familiares para escrever com caneta de acetato e apagar com facilidade...

.

IMG_20170307_215007_070.jpg

 

 

 

No hall:

 

No canto em que tínhamos uma cadeira (sim, eu sei...) resolvi colocar parte do móvel da sala que o pai desmontou, retirámos as portas para ter acesso mais fácil. Aqui guaram-se as mochilas da escola, o saco da Lúcia e a mala do computador.

 

 

 Custos:

  • Caixas de cartão pedi na sapataria - custo zero
  • cestos antigos reaproveitados
  • quadro (cartolinas e impressões) 7,50€ 

 

A sala que inclui a mini biblioteca, zona de brinquedos e escritório está quase, quase...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 13.02.17

Desafio limpeza em 30 dias

Objetivo: destralhar, limpar e organizar a casa continuando a vida do dia a dia

 

Destralhar: guardar o absolutamente necessário - dar o que tem utilização e está como novo - Deitar fora tudo o que está partido, manchado, roto, obsoleto.

 

Limpar: em todos os cantos da casa, sem desculpas, usando o método de retirar absolutamente tudo dos sítios.

 

Organizar: encontrar formas de arrumação eficazes sem gastar dinheiro em caixinhas e acessórios xpto. Usar as estantes que já temos, caixas de plástico e pastas de arquivo, reorganizar cada divisão.

 

*** -***

 1º Dividir os 200 m2 de casa desarrumada:

 

Semana 1- Entrada e biblioteca/zona de brinquedos 

 

Semana 2 - Sala e escritório

 

Semana 3 - Cozinha e casas de banho

 

Semana 4 - 3 Quartos (roupeiros incluídos)

 

Semana 5 - Arrumos e despensa

 

 Bem, isto colocado assim parece-me demasiado ambicioso. Estou quase a desistir e ainda nem comecei... vou tentar tirar umas fotos de "antes e depois" e fazer um apanhado das coisas que vou fazendo, uma espécie "deixa-me acabar isto ou chamam-me preguiçosa!" talvez funcione... ou isso ou por cada tarefa superada como um chocolate!!!

 

Entretanto para desanuviar do e-fatura estive a divertir-me e criei estas etiquetas e lombadas das pastas:

 

etiq print.png

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sexta-feira, 03.02.17

Desafio: Limpar e destralhar em 30 dias

Estou capaz de aderir a este desafio de 15 de fevereiro a 15 de Março! 01 a 31 de Março!

 

Oh... afinal Março tem 5 semanas, CINCO! 

 

Ainda não sei bem como, uma vez que não estou o mês inteiro em casa... teria de ir por partes aos fins de semana e serões...

 

Posto isto, seria algo no género:

  1. Identificar as zonas a intervir
  2. Traçar um plano de ataque
  3. Tirar tudo dos sítios
  4. Seguir o lema: dar/guardar/deitar fora
  5. Limpar a fundo
  6. Organizar enquanto se arruma

22606419-Cleaning-tools-round-card-Stock-Vector-house.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisa de temas

Pesquisar no Blog  

calendário

Setembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930


Frases nossas

«Mais do que um processo judicial ou burocrático adoptar é amar uma criança e torná-la nossa filha»

Fale connosco através de

olivia.adocao@sapo.pt