Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!


Segunda-feira, 03.04.17

Recarregar baterias

Sábado passado foi dia de fazer uma pequena pausa nas tarefas para podermos estar presentes no retiro da quaresma em Fátima. Não foi nada fácil encontrar tempo para ir, aliás, só confirmámos a nossa presença na tarde de sexta feira... o que para uma pessoa com a mania de programar tudo como eu é dose!

 

Mas, nem o facto de não ter nada preparado para o almoço partilhado ou para os lanches foram motivos para desanimar! A nossa família precisava deste dia. Desta vez, sem grandes stresses optei por simplificar, nas comidas, nas roupas, nas listas... tive apenas preocupação de levar comida para a Lúcia, bolachas para os lanches e lombo fatiado para o almoço (faço na panela de pressão para ser mais rápido), mais umas batatas fritas de pacote e já está!

 

No dia do retiro todos acordam bem dispostos! Todos se despacham depressa, em poucos minutos levamos tudo para o carro e fazemo-nos à estrada! À entrada de Fátima somos prendados com uns pequenos pingos de chuva, nada que abale a alegria de em breve estarmos com os nossos amigos!

 

Para não variar muito, fomos dos primeiros a chegar!!! E, aos poucos fomos matando as saudades de quem nos é muito querido, mas vive longe!

 

Enquanto a sala se ia compondo com as famílias que chegavam, tivemos oportunidade de ver a linda imagem da Mãe de Caná - em fotografia - e aprender o hino do movimento, até sábado passado considerava que o "hino" fosse "Eu e a minha família serviremos o Senhor", apesar de nunca o ter dito, era um cântico que nos identificava! Mas, este novo hino é tudo! Tudo o que somos, o que vivemos, o que sentimos, o que esperamos! A música do refrão fica no ouvido (digo eu que não percebo nada de música).

 

Quando as nossas queridas educadoras Vera e São chamaram pelas crianças para irem para uma outra sala falar de Jesus, todos foram em fila... incluindo a nossa Lúcia! Eu fiquei a olhar... e aproveitei para entregar a chucha e um iogurte, sem que ela desse conta. E assim, sem eu sequer ter imaginado consegui ficar a escutar o ensinamento sossegadamente (com uma ou outra interrupção para ajudar mais crianças a encontrarem a sua sala).

 

E, tudo isto foi muito mais do que eu alguma vez pedi! Valeu o esforço, o tempo que dedicámos ao retiro, a viagem, a roupa por passar, a cozinha por arrumar, o chão por aspirar, os orçamentos por fazer, o escritório por organizar... valeu cada segundo em que escutei o ensinamento, em que partilhámos uma refeição, em que percorremos a Via Sacra passo a passo, com carrinho, sem carrinho, a dar de comer, a mudar fraldas, em busca de água... cada segundo!

 

Para casa trazemos sempre mais do que levamos, trazemos a mensagem, trazemos uma ou duas frases marcantes, trazemos o coração cheio, a alma tranquila, um sorriso no rosto, o cansaço no corpo, mas também trazemos energia para no domingo conseguirmos receber os avós para o almoço do aniversário da Margarida e para fazer tudo que não fizemos no sábado!

 

Hoje sei que sou uma pessoa muito grata.

A Deus.

A todos os que estiveram lá.

Aos que não foram, mas estiveram connosco em pensamento.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 01.02.17

Ser do contra...

Ou, como tirar partido da falta de tempo.

 

Há uns meses passei por uma fase bastante depressiva, e nestas alturas é difícil conciliar as tarefas porque:

  1. Não me consigo organizar
  2. Tenho tendência a deixar de me importar
  3. Não me apetece fazer nada

Posto isto, abandonar pequenos hábitos é o caminho mais fácil. Hoje não faço isto, amanhã deixamos de fazer mais aquilo e é uma bola de neve sempre a ganhar tamanho enquanto desce a encosta da vida!

 

Até ao dia em que despertamos e vemos que talvez estivessemos a desperdiçar oportunidades. Uma das coisas que abandonei praticamente foi a oração pessoal e o esmero na oração familiar. Custa-me admitir, mas é a verdade. Convenci-me de que precisava desse tempo para fazer muitas coisas. E o que é que me aconteceu? 

 

Claro, deixei de ter tempo para tudo, desorganizei-me, perdi oportunidades atrás de oportunidades... então resolvi inverter todo o processo e passei a adotar uma outra técnica que me permite ter tempo para a oração e para algumas tarefas que gosto!

 

Eis a fórmula - que não sendo mágica - partilho aqui:

 

Agradecer o dia logo ao acordar

IMG_20160901_074326.jpg

 

Fazer uma oração da manhã em família (mesmo que seja no carro)

IMG_20160918_122230.jpg

 

 

Antes de começar o dia de trabalho dedicar cinco minutos a ler as leituras do dia (recebo por email)

 

Sem Título.png

 

Adicionar pequenos lembretes aqui e ali que me façam rezar quase sem dar conta:

IMG_20170131_073805.jpg

 

 

Ter um bloco para apontar um versículo ou palavra inspiradora (esta encontrei num dia de dúvidas...)

IMG_20170130_210018.jpg

 

 

Perceber que não posso fazer tudo e dividir o meu mês em diferentes partes (projeto pessoal, cartas e cartões da arca) de forma a conseguir colocar os meus dons ao serviço dos outros

 

arca.png

 

Rezar o terço no caminho para casa em vez de irmos apenas a ouvir música

 

IMG_20170114_175841.jpg

 

Ler romances cristãos (Até agora descobri esta autora: Sarah Sundin)

IMG_20161010_110228.jpg

 

Manter o canto de oração bonito e fazer uma oração da noite simples e alegre

 

IMG_20170131_072505.jpg

 

Antes de dormir pensar a sério no dia que vivi

 

DSCF9185.JPG

 

 

Se esta fórmula tem falhas e é imperfeita?

Sim.

Mas estou sempre a tempo de a adaptar!!!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quinta-feira, 26.01.17

O Ano novo, o tempo comum e a nossa vida

Eu queria escrever um bom texto sobre a vivência do ano litúrgico em família e não estou a conseguir por falta de tempo.

 

IMG_20170107_155220.jpg

 

No fundo gostava de deixar aqui um pequeno registo sobre a forma como temos acompanhado o novo ano (não o 2017, mas o Ano A), sobre as nossas catequeses em família, os tempos de oração e a nossa nova rotina do dia a dia.

 

Assim e de forma bastante resumida tenho procurado retomar o meu plano bíblico (estou no dia 281 de 365), também tenho um bloco de notas para apontar as passagens mais marcantes, como num diário. Temos procurado fazer todos os dias a oração da manhã em casa, mas quase sempre acabamos por fazê-la no carro. Em cada dia, uma de nós - a responsável do dia - enuncia as intenções desse dia, oferecendo assim todo o nosso trabalho, esforço, todas as nossas conquistas, invocamos os santos padroeiros e fazemos a consagração à Mãe de Caná.

 

No regresso a casa rezamos o terço, são cerca de vinte minutos o percurso e quase sempre conseguimos concluir todos os mistérios orientados pela responsável do dia, ao serão cantamos e rezamos o Shemá, agradecemos as várias coisas que recebemos nesse dia e pedimos ao Anjo da Guarda que tome conta de nós.

 

IMG_20170107_155011.jpg

 

Também retomámos as catequeses em família, uma vez que houve mudanças nos horários e temos tido algumas consultas médicas que impossibilitam a ida à catequese. 

 

IMG_20170107_154952.jpg

 

Procurei também dedicar-me às cartas da Palavra Partilhada, e aqui surgiu-me uma grande dificuldade: como as cartas são manuscritas e com o aumento das inscrições não estou a conseguir escrever uma carta por mês para cada pessoa, por isso, dividi em dois grupos e alternadamente vou enviando as cartas sem data marcada, uma coisa é certa: ninguém ficará sem a receber!

 

IMG_20170120_104022_296.jpg

 Ah... rezem por mim, para que não caia no desanimo quando me vejo atrapalhada no meu dia a dia!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 21.12.16

A quatro dias do Natal

E tanto que já sinto a alegria dos reencontros, das palavras sentidas de boas festas, a alegria das partilhas ainda que simples. De facto o Advento aproxima-se do final. E, para meu espanto, consegui fazer uma preparação interior muito maior do que aquela que alguma vez imaginei no primeiro dia de caminhada.

 

Não existiu nenhuma fórmula mágica, nenhuma grande lista ou conjunto de tarefas obrigatórias. Apenas três coisas:

  • Estar disponível colocando-me ao serviço 
  • Focar-me no essencial desta quadra
  • Voltar a fazer algo diferente e inesperado 

 

Estar disponível hoje em dia é uma coisa praticamente impensável com tanta coisa para fazer... mas procurei não me dispersar com muitas coisas, recolhi-me num silêncio interior e pedi muito a Deus que me dissesse o que fazer. Ele provavelmente já mo tinha dito, mas eu nem dei conta tal era o estado depressivo em que me encontrava... aos poucos fui aceitando o facto de a minha pequena cruz estar um bocado mais pesada e fui tentando carregá-la com alguma entrega. Descobri que existem acontecimentos na vida que nos deixam sem chão, mas que nos fortalecem dia após dia! Assim procurei ocupar bem o meu tempo, desligando as redes sociais o maior número de horas possível e dedicando as minhas horas de almoço às cartas da Palavra Partilhada, que deverão começar a chegar pouco a pouco a vossas casas!

 

Depois de um tempo de organização mental e das minhas coisas lá de casa, precisei de me focar no essencial, fazer uma caminhada em família rumo à celebração do nascimento do Salvador, pouco me importa que Jesus não tenha nascido exatamente neste dia, o mais importante é que Ele nasceu e morreu por mim. Por ti. Por si. Por nós. Mesmo e principalmente pelos que não acreditam. E tem sido assim o nosso caminho: passo a passo, com pequenos gestos, sem grandes euforias. Até já temos as prendas embrulhadas e etiquetadas para partilhar com a família!

 

A última coisa que senti que devia recuperar era "fazer uma coisa inesperada", noutros anos fizemos recolha de presentes para a fundação, houve um ano em que liguei aos amigos na véspera de Natal, um a um, para conversarmos com calma (a possível nesse dia), num ano mandámos uns doces ao tio Zé que está na Escócia e este ano queria fazer qualquer coisa diferente... e assim surgiu a ideia de irmos ao norte no fim de semana passado. Largamos tudo, arranjámos as malas com o mínimo de coisas e fomos visitar parte da nossa família! O fim de semana foi uma maravilha. hei de contar tudo, mas não agora! Tenho trabalho para fazer!!!

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Segunda-feira, 01.08.16

4º Encontro Aldeia Ribatejo

Está combinadíssimo e eu confesso que estou verdadeiramente feliz com o facto de voltarmos a unir fisicamente a nossa Aldeia de Caná no próximo dia 6 de Agosto.

 

Este nosso próximo encontro que marca de certa forma o 1º aniversário da aldeia, insere-se na espiritualidade das famílias de Caná que unidas rezam e se colocam ao serviço do próximo. 

 

Quem é o meu próximo?"

 

Perguntava o doutor da lei a Jesus (em Lucas, capítulo 10 versículo 26) e Ele com toda a paciência  e sabedoria nos conta através de uma belíssima parábola quem é de facto "o nosso próximo". E é tão fácil encontrarmos na nossa área de residência ou até no nosso núcleo de acção pessoas que precisem de nós, muitas vezes nem são apenas necessidades monetárias, mas de tempo ou atenção.

 

No centro de Santarém está situada a Fundação Madre Luíza Andaluz, instituição criada com o intuito de dar uma casa a meninas órfãs na altura da pneumónica. Esta é uma casa especial, quem segue o blogue sabe o quanto estimamos todas as pessoas que nela trabalham e que colaboram com esta nobre missão que é acolher crianças a quem a vida trocou as voltas e que pelos mais variados motivos precisam de um local para curar as suas feridas enquanto as suas famílias se reestruturam.

 

Esta casa está sempre cheia, esta missão nunca acaba, e nós sentimos que temos o dever de nos colocarmos ao serviço estando próximos dela, partilhando alguma coisa dentro das nossas possibilidades. Se uma casa com meia dúzia mal medida de pessoas tem inúmeras necessidades como será nesta casa com cerca de 30?

 

Cabe-me a mim enquanto cidadã deste país zelar também por estas crianças, que estando à guarda do estado são também da minha responsabilidade. Sim, este mesmo estado financia estas instituições, mas será que chega? Será que por saber disto posso ficar tranquila na minha vida e ignorar as centenas, milhares de crianças que vivem institucionalizadas e as suas famílias?

 

Pois, nós não conseguimos ficar indiferentes e é por isso que este nosso quarto encontro terá então esta visita à instituição depois de um primeiro momento de oração na Igreja do Santíssimo Milagre em Santarém.

 

Fica o convite aos leitores que se queiram juntar a nós para que venham e arrisquem viver duas ou três horas diferentes na sua vida!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Olívia às 08:21

Quarta-feira, 13.07.16

Novas rotinas

Passaram oito meses desde que a Lúcia nasceu, não sei bem como é que o tempo passou tão depressa... mas a verdade é que nestes meses tenho tido um horário "privilegiado" no trabalho, sim que no comércio tradicional trabalhamos de segunda a sexta das 9 às 19h e ao sábado das 9 às 13h, acontece que há sete meses atrás o horário ficou reduzido e tenho saído às 16.30/17h.

 

Mas, muitas outras coisas aconteceram nestes últimos tempos: as férias grandes chegaram, a Lúcia já gatinha e só quer estar de pé... foi tudo muito rápido e eu não contava com isso... na melhor das hipóteses pensava que ela só ia andar depois do 1º aniversário e iria então para a creche... afinal não a posso ter presa dias a fio! Assim, terei de a ir inscrever para começar em setembro, a ver se consigo uma vaga!

 

Os nossos dias têm sido mistos: segundas, quartas e sextas tenho as três filhas comigo na loja, terças, quintas e sábados ficam com a minha mãe. Ô horário também se alargou e agora fecho a loja às 18.30h, chegando assim a casa pelas sete horas. Depois é o corre-corre... uma toma banho, depois a outra, eu dou a sopa à Lúcia e faço o jantar, às sete e meia jantamos, rezamos o terço logo a seguir para ir dar banho à Lúcia pelas oito e pouco enquanto as irmãs arrumam a cozinha... segue-se o leitinho e cama!

 

Tento ainda ler as leituras do dia com as mais velhas e contarmos (à vez) uma história da bíblia, pelas nove e pouco ambas vão para os seus quartos, a Margarida vai ler um bocado e pelas nove e meia a casa fica silenciosa. Normalmente aproveito para pôr a conversa em dia com o Álvaro (ao telefone ou ao vivo e a cores), se houver trabalho ou orçamentos também é nesta altura que os fazemos!

 

E depois descanso os meus quinze minutos para regressar às tarefas do dia: nuns dias contabilidade, noutros passar a ferro, noutros fazer sopas e fruta cozida, noutros trabalhar na Palavra partilhada e nos cartões da Arca do Tesouro.

 

Chego ao fim do dia muito cansada, mas tento ir dando continuidade ao plano bíblico, são mais dez minutos... e depois tenho de dormir...

 

O bom é que no dia seguinte recomeçamos tudo mais uma vez!

 

E dia a dia vamos caminhando, umas vezes mais animada outras mais cansada... uns dias com mais entusiasmo outros com menos. O importante é manter sempre o "foco" no mais importante:

 

"Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos"!

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Olívia às 11:01

Quinta-feira, 16.06.16

A outra aldeia

Hoje não vou escrever sobre a aldeia onde moro, mas sobre a aldeia a que pertenço enquanto família de Caná. Esta nossa aldeia tem estado de certa forma "adormecida", mas vigilante. Sabemos que nem sempre conseguimos estar todos juntos, mas isso não nos impede de sabermos que estamos unidos muito para além da partilha do mesmo espaço físico. 

 

Quando nos propusemos a dar os primeiros passos na concretização desta aldeia sabíamos desde logo que não seria fácil fazermos um encontro mensal, tínhamos na altura alguns projetos e tentámos encontrar formas de nos colocarmos ao serviço. Pensámos em estar junto dos jovens que se preparam para o matrimónio, ou dos pais que pedem o batismo dos seus filhos, pensámos em estar próximos de famílias que precisassem de apoio espiritual... enfim ideias e mais ideias... no entanto o tempo foi passando e algumas destas ideias foram ficando a aguardar oportunidade de serem concretizadas. 

 

Agora, ficámos a saber que está para ganhar "vida" o novo site das famílias de Caná, está aos poucos a receber contributos das várias aldeias e isso fez-me repensar e reanimar a chama que ardia muito pequenina na nossa aldeia.

 

Quem me conhece sabe que eu tenho a ligeira tendência a fazer listas e tabelas, é mais forte do que eu, assim resolvi tentar traçar um "plano" para o resto deste ano de 2016. Depois de trocar alguns emails com a família da Marta e do João chegámos à conclusão de que faríamos o nosso melhor para que a aldeia continuasse e que avançávamos então com o plano anual, que será dedicado essencialmente ao serviço/visitação.

 

O plano completo estará então disponível no novo site, muito em breve, para já fica o convite a quem se quiser juntar connosco no dia 2 de julho - o primeiro sábado do mês - iremos procurar agendar um encontro na instituição onde a Margarida viveu durante algum tempo:

 

 

Local:   Santarém 15h Consagração e Rosário Visita à Fundação Andaluz - Entrega de bens

 

 

É muito simples juntarem-se a nós, basta entrarem em contacto para que possamos encontrar-nos num local central (exemplo: igreja do Milagre), daí seguimos para a fundação onde teremos certamente a oportunidade de fazer uma pequena visita.

 

Não tenham medo de arriscar, apareçam!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terça-feira, 07.06.16

Junho

O mês de junho, para a igreja católica, é o mês do Sagrado Coração de Jesus, coisa que me passou ao lado durante 32 anos. Mas, como mais vale tarde do que nunca, resolvemos aceitar o desafio proposto no blogue de Uma Família Católica e em 2014 fizemos também nós um coração, para colocar na nossa porta, sinal exterior visível da nossa vivência interior e familiar. 

 

Este coração foi feito em papel crepe, que com o passar dos longos dias de sol começou a ficar velho e descorado. No início de maio, decidida a que este ano teríamos um novo resolvi desfazer-me do outro.

 

O tempo foi passando e, como era de esperar, não consegui fazer um novo coração para a nossa porta. Nem no dia 1, nem no dia 2... primeiro porque não tinha material, depois porque sou muito boa nesta coisa horrível que se chama "adiar". O primeiro pensamento foi "deixa estar faço para o ano"...Uma vergonha! 

 

Entretanto no sábado vim trabalhar sem a minha bebé e quando saí fui a uma loja de utilidades para a casa e vi lá um lindo pé de rosas vermelhas, estava decidido, dessa tarde não passava!

 

Com as flores, um pedaço de papel crepe amarelo, um bocado de uma espécie de esferovite, arame fino e dois pedaços de madeira e uns espinhos da coroa da semana Santa coloquei mãos à obra!

 

IMG_20160604_180615.jpg

 

E, ao final da tarde a nossa porta estava assim: 

IMG_20160604_181917.jpg

 

IMG_20160604_181055.jpg

 

Também já revi o coração na porta da Teresa e o lindíssimo coração da família da Sónia! Na verdade, mais vale tarde do que nunca... toca a colocar o coração à porta!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terça-feira, 31.05.16

Caminhando com Maria

No último domingo de maio na nossa catequese familiar percorremos algumas páginas das nossas bíblias para aprender a sermos cada vez melhores através do exemplo de Maria...

 

Ela ensina-nos:

  • a dizer "sim" sem reservas e com confiança
  • a colocarmo-nos ao serviço procurando os que mais precisam
  • a receber nas nossas vidas Jesus como o Salvador
  • a meditar na nossa vida em silêncio
  • a irmos juntos, em família - crianças incluídas - à casa de Deus
  • a reconhecermos que Jesus é nosso Mestre
  • a acompanhar os que são próximos nas suas alegrias
  • a estarmos atentos ao que os outros precisam
  • a pedir a Jesus que interceda por nós
  • a sofrer em silêncio, aceitando as nossas limitações
  • a confiar que no final tudo passa e só o amor permanece
  • a acreditar que o melhor não o veremos nem aqui, nem agora

 

20160529_145953.jpg

 

20160529_150133.jpg

 

 Afinal nós até já sabíamos a maior parte destas coisas, mas uma coisa é ouvir dizer, outra é ler na bíblia e ver que estavam todas lá escritas à espera que as descobríssemos!

 

Ainda não tinha mostrado a bíblia da Maria, que comprámos no sábado Santo em Fátima, aqui fica ela:

 

14646458318341033095442.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Olívia às 06:35

Sexta-feira, 20.05.16

A Palavra Partilhada #2

E aqui fica em quase-primeira-mão o símbolo que já corre por esse mundo fora!

 

É verdade, depois de um serão e algumas tentativas falhadas penso que consegui representar numa imagem a ideia de que a Palavra pode ser lida, meditada, partilhada e vivida um pouco por todo o mundo. Algumas das cartas já seguiram, umas para perto outras para bem longe! 

 

palavrapartilhada.jpg

 

 

 

Quando abrirem a caixa do correio e virem esta imagem toscamente colada no verso do envelope chegou a vossa casa um pedacinho da Palavra que nunca, nunca nos deixa sem alento!

 

Quem ainda não se conseguiu inscrever, basta clicar ali ao lado (Palavra Partilhada)e preencher o formulário, assim que recebo a inscrição, junto ao próximo grupo de cartas que escreverei - estou a guardar pelo menos dois serões para o fazer - assim todos receberão uma carta num curto espaço de tempo, depois é uma questão de ir rodando para que os primeiros voltem a receber uma nova carta!

 

Caso haja algum acontecimento especial, alguma data marcante, algum problema específico basta indicar lá no questionário e terei em atenção a isso na carta que enviarei. 

 

É que uma coisa é escrevermos a pessoas que conhecemos, outra é encontrar a inspiração para escrever a alguém de quem só conhecemos o nome! 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 06.04.16

O grande dia

Recuar no tempo é bom.

 

Devia ter escrito este texto logo no dia de Páscoa, mas a verdade é que foi um dia tão preenchido que não consegui sequer ligar o computador. E depois o tempo foi passando e já estamos a meio da segunda semana de Páscoa! Bem, que corre-corre é a minha vida!

 

Depois de um sábado chuvoso e cinzento, o domingo foi um dia com sol, aliás na Páscoa cantamos sempre um cântico que é: "nasceu o sol da Páscoa"... e é verdade, em cada Páscoa o Sol tem mais força! Este ano coincidiu com a mudança a hora e foi um dia realmente grande e cheio de luz!

 

Durante a manhã demos início à nossa pequena tradição que consiste basicamente em comer todos os doces que se quiser sem sequer ter de pedir autorização (o hábito é tão forte que andei o dia todo a dizer "podes comer o que quiseres"), ao almoço juntámos a família mais próxima e em clima de grande alegria fizemos a nossa refeição, que não tem nada a ver com a tradição do borrego assado... foi imaginem carne de porco à alentejana, uma comida que adoramos!

 

Durante a tarde deu para descansar um pouco e preparar a grande festa! Era suposto irmos mais cedo para a igreja, mas a Lúcia fez uma sesta tão boa que quase nos atrasávamos...

 

A nossa igreja estava linda, toda com flores em tons de branco (em vez das cores que costuma ter): era a primeira comunhão da Maria!

 

Por falar em branco, a Maria levou um vestido completamente ultrapassado, mesmo fora de moda... eu só soube nas vésperas que afinal a minha irmã não lhe ia comprar um vestido novo... é que ela queria levar o meu vestido... de 1988 imaginem! Claro que a avó fez uns arranjos pois ela é mais magrinha... 

 

A missa decorreu com grande simplicidade, acendemos as nossas velas do batismo no círio novo (quem já não tem, leva uma a substituir) - tradição que iniciámos no ano passado uma vez que não temos Vigília Pascal) e o grande momento chegou! Que emoção! Que alegria!

 

IMG-20160328-WA0003.jpg

 

 

No final houve bolinho que a minha mãe fez para oferecer às pessoas, e houve quem me dissesse que somos uma família abençoada...

 

E é verdade, sinto-o todos os dias, mas nesta Páscoa senti ainda mais!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 30.03.16

Tríduo Pascal

Ora como deu para perceber estive um bocadinho ausente na semana passada, é difícil uma pessoa concentrar-se como deve ser no que está a viver e andar a toda a hora a escrever textos para o blogue, sabendo que a família ocupa também uma boa parte do tempo. Assim optei por ir fazendo umas imagens com passagens bíblicas (que fui registando na aplicação onde estou a fazer o plano bíblico). 

 

Nem sempre é fácil encontrar a imagem certa para a frase ou a frase para a imagem, mas eu tenho cá para mim, que quando as coisas estão certas aparecem mesmo sem querermos. Então, de vez em quando vejo uma imagem e penso logo numa das passagens que li e que gostei... outras vezes ando que nem uma louca à procura nas centenas de fotos da Margarida uma que fique bem naquela passagem... junto tudo e guardo!

 

Mas aqui fica um pouco do que foi o nosso Tríduo Pascal...

 

Uma belíssima Celebração da Palavra, muito simples e muito significativa, nela além de lermos as leituras pudemos ainda, neste que é o ano da misericórdia e nesse que foi também o dia da caridade, pudemos de forma simbólica lavar as nossas falhas e ficar com as mãos limpas e disponíveis para o bem.

IMG_20160324_165521.jpg

IMG_20160324_165556.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois, preparámos a igreja para a derradeira sexta-feira... tapámos todas as imagens, retirámos as flores, e foi assim que no dia seguinte a encontrámos.

 

Foi no silêncio de uma tarde cheia de emoção... aliás como em todos os anos, fico verdadeiramente emocionada com a vivência destes dias... que recordámos mais uma vez que o nosso Mestre morreu por nós!

 

O sábado santo foi um dia de silêncio que passámos pela primeira vez em retiro familiar, mas isso fica para amanhã!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 23.03.16

É difícil

Rezar centenas de vezes o "Pai Nosso" e dizer:

 

Seja feita a Vossa vontade

 

A "Vossa" ou a minha? Quando acontecem coisas inesperadas, que me deixam preocupada, quando penso que nada à minha volta corre bem, quero que seja feita a Vossa vontade? Ou só me interessa afirmar isto quando as coisas me correm de feição?

 

Não era suposto confiar? Com que coragem abraço eu as contrariedades da minha vida?

 

***

 

E será que sou verdadeira quando digo:

 

Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos...

 

Perdoo assim tanto como gostaria de ser perdoada? Será que guardo alguma mágoa e por isso me torno fria e distante? Espero eu que me perdoem se eu não consigo ser verdadeira e perdoar de coração?

 

***

 

E para terminar: 

 

Não nos deixeis cair em tentação

 

Mas eu toda a hora me sinto tentada, prestes a cair, às vezes dou conta de que já caí...

Quando dou por mim já estou dizer isto ou aquilo daquela pessoa, a pensar disparates, a ter atitudes tão pouco cristãs...

 

 Ah... é muito fácil ir rezando Pai-Nosso atrás de Pai-Nosso e dizer que já rezei muito!

O difícil é rezar um Pai-Nosso verdadeiramente sentido e ir vivendo aquilo que rezo!

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Terça-feira, 22.03.16

20%

Esta é a percentagem de bíblia que já li.

 

 

Um destes dias, enquanto estava a fazer um esforço monumental para ler com atenção um dos livros que estou a achar "aborrecido" de ler pelo seu conteúdo, dei comigo a divagar...

 

Então e porque é que comecei este desafio? Ler a bíblia toda para quê?

 

Foi então que olhei em volta e vi um livro aqui, outro ali... e pensei que grande gosto tive em ler a maioria dos livros que tenho em casa. Depois recordei alguns testemunhos de pessoas de fé que, a par com a perseguição religiosa física, ainda se confrontam com o facto de nem sequer poderem abrir a bíblia para ler.

 

 

Que tipo de cristã sou eu se nem consigo ler o livro mais importante que temos?

 

Pensei ainda na minha caminhada desta quaresma, está tão "fraca" em relação ao que inicialmente pensei que iria ser... pensei também que preciso de ter um momento de oração só meu.

 

Respirei fundo, agradeci por me ser possível decidir se quero ou não continuar a ler toda a bíblia e recomecei de onde tinha parado. É certo que tenho lido através da aplicação do telemóvel, muito mais cómodo do que ir buscar o "Livro" em si... em cerca de quinze minutos consigo ler o pedaço do dia e ainda meditar nalgumas passagens que me falam ao coração.

 

Esta semana não irei ter muito tempo para escrever, esta semana é a semana Maior, a mais importante, e é durante esta semana que vou "avançar" neste meu objetivo: vou passar a ler não no telemóvel, mas no Livro.

 

Tenho pena de não conseguir encontrar uma bíblia como esta, com as páginas um bocado mais espessas do que as da minha, era tão bom poder sublinhar e fazer apontamentos nas margens...

 

Quero ainda esta semana terminar os cartões do nosso baú com passagens bíblicas, os que tínhamos foram ficando estragados, desta vez vou plastificá-los!

 

Desejo-vos a todos uma boa semana Santa, cheia de grandes bênçãos, que durante estes dias preparemos o melhor que pudermos o nosso coração para a grande Festa!

 

 

jo 14 . 6.jpg

 

Ficheiro: jo 14 . 6.jpg

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quarta-feira, 17.02.16

Em Tomar

No primeiro sábado do mês tínhamos combinado encontrar-nos com a Marta e com o João para reunirmos a Aldeia de S. João Batista depois de uns meses de afastamento físico. Desde o início que temos vindo a criar uma relação de proximidade, pois somos duas famílias bastante diferentes. Sinto que na verdade por sermos assim tão diferentes acabamos por nos completarmos enquanto aldeia. E continuo a rezar para que a nossa aldeia aumente em número e em número de famílias. 

 

Vamos caminhando assim a passos muito pequeninos, são exatamente aqueles que conseguimos dar. E dar um pouco do nosso tempo para "regar" a semente que está a nascer é já um bom começo, Deus que é quem tudo sabe há de ter grandes planos para nós, ou então podem não ser assim tão grandes... o tempo o dirá. E só por aquilo que vamos partilhando já valeu a pena que nos tivéssemos conhecido!

 

 

DSCF8913.JPG

 

 

Ora, este encontro foi preparado pela família da Marta e do João, e nós ficámos verdadeiramente encantados com esta tarde passada em clima de amizade e simplicidade. Desta vez, como a Lúcia já participou optámos por ficar reunidos em casa durante a tarde, era bastante mais fácil por causa da logística que implica um bebé pequeno.

 

O nosso encontro teve como "base" o Ano Santo da Misericórdia, o arrependimento e o perdão, além de tudo isto ainda trocámos ideias sobre a dinâmica familiar.

 

Tivemos um momento de oração e para alegrar esta tarde tentámos aprender dois cânticos muito bonitos, um deles não apontei o nome e não consigo encontrá-lo, mas o outro, que a Margarida e Maria pediram para repetir e repetir e repetir... foi este:

 

 

É ou não uma maravilha poder ficar o resto do fim de semana com esta música na cabeça? A ver se encontro em mp3 para podermos ouvir mais vezes!!!

 

Claro que com uma tarde em cheio nem tirámos fotografias para partilhar, depois do lanche e rezámos o terço e então tirámos a fotografia do grupo, que em comparação com a do último encontro já está maior... vamos esperar que vá assim crescendo cada vez mais!

 

DSCF8919.JPG

 

E, ao fim da tarde, a chuva já caía, era hora de ir embora, mas não sem antes ficar a promessa de que em breve daríamos mais um pouco do nosso tempo a Deus, à Aldeia e à nossa amizade!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisa de temas

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930


Frases nossas

«Mais do que um processo judicial ou burocrático adoptar é amar uma criança e torná-la nossa filha»

Fale connosco através de

olivia.adocao@sapo.pt