Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Adotar Amar Viver

Somos uma família católica que investe no tempo de família, aprendendo e ensinando, amando e vivendo com simplicidade. Somos o Álvaro e a Olívia, a Margarida, a Maria e a Lúcia!

Um dia para repetir

No sábado que antecedeu a Páscoa pensei ficar em casa como costume e preparar tudo para receber a família para a grande festa, no entanto havia algo que me incomodava. E bastante.

 

Esta quaresma eu não consegui confessar-me. Noutras alturas da minha vida até nem fazia muita confusão, afinal a penitência da quaresma já dava para "tapar" a falta da confissão, mas agora, nesta fase em que me encontro senti que não podia festejar sem antes dar este passo. Aqui as confissões são apenas umas horas de um dia na quaresma e no advento. E claro que esse dia e essas horas são aqueles em que estamos a trabalhar... consegui preparar as minhas filhas com ajuda do cartaz que vi no blogue da FEM e elas foram com a minha mãe.

 

E eu?

 

Então resolvi convidar o meu marido para fazermos um mini retiro familiar nesse sábado em Fátima, estávamos em família, afastados das azáfamas e poderia confessar-me sem qualquer problema! Quando dissemos às nossas filhas elas pensaram logo que as outras famílias de Caná também iam... mas oh a desilusão afinal era só a nossa família!!!

 

Assim, combinamos ir de manhã cedo, confessávamo-nos à vez, porque um dos dois teria de ficar com as miúdas e depois seguíamos pela Via-Sacra e almoçávamos tipo piquenique no meio do prado! Ah que bom ia ser! Coube-me  a mim arranjar a merenda e logo cedinho abalámos então rumo a Fátima.

 

Pelo caminho eis que as nuvens escuras ficam cada vez mais densas e ameaça chover... o céu estava tão encoberto... que dei comigo a pensar:

 

 "ai querias ir fazer um piquenique não era? Toda contente? Iam divertir-se bastante, não era? Sabes que dia é? O dia do silêncio... reflexão... ok, menos, Olívia, menos..."

 

Ao chegarmos pegámos na tralha toda, que isto de se andar com um bebé exige logística adequada e lá fomos às confissões, enquanto dei o leite à Lúcia foi o pai e depois eu! Não esperei nada, como já ia preparada (oh se ia) foi tudo muito rápido!

 

À saída, pela rampa, por causa do carrinho, não contemplámos a fonte nem as pombinhas, mas vimos que as nuvens se abriram e por breves segundos fomos inundados com um raio de sol, até senti o coração aquecer!

 

O resto do dia não foi exatamente como planeado, o raio de sol foi-se e veio a chuva, ainda fizemos meia via sacra, mas como sabíamos de cor as estações fizemos questão de as enumerar enquanto fazíamos o percurso de regresso. Procurámos umas mesas cobertas (atrás da basílica antiga) e foi aí que almoçámos... com frio, muito frio!

 

Houve ainda tempo para nos perdermos na livraria do santuário - a ver se tiro foto das novas aquisições - e demos por terminado assim o nosso retiro, em paz e de coração limpo regressámos a casa!!!!

 

Acho que iniciámos uma nova tradição familiar, o sábado santo será passado assim de futuro!!

 

 

 

8 comentários

Comentar post